Jornais
FECHAR
  • Jornal VS
  • Diário de Canoas
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 15/09/2014 - 12h52
Última atualização em 15/09/2014 - 13h23

Cães de Assistência ajudam pessoas com deficiência

Eles fazem coisas inacreditáveis para ajudar seus donos

Foto: Laura Píffero/ges-especial
Ela busca celular do chão, apaga e acende a luz, abre e fecha gavetas e portas. Se pedir o telefone ela vai lá e, entre tantos objetos, busca o celular. E é assim com tantos outros objetos. Essa é a Ully, uma cachorra de assistência, a pioneira do Rio Grande do Sul e a segunda no País a fazer esse trabalho de ajuda a pessoas com deficiência. Para chegar a esse trabalho de excelência, ela passou por um treinamento intensivo monitorado pelo fisioterapeuta André Fröhlich e o instrutor K9 Marcelo Silva dos Santos, que também é diretor da Escola Cão Sentinela. Ully e seu dono André são naturais de Novo Hamburgo, mas moram hoje em Santa Cruz. Os vídeos dela são incríveis e mostram, mais uma vez, como um cão pode surpreender sempre na lealdade e amizade.
 
 
 
 
 
O que é um cão de assistência?
 
Foto: Laura Píffero/ges-especial
Um cão de assistência precisa ser treinado e capacitado para exercer determinadas funções, para uma pessoa específica. O treinamento pode durar cerca de um ano.

Com pessoas com deficiência física os cães de assistência exercem funções como empurrar portas, gavetas, carregar pertences do dono, recolher objetos caídos no chão, auxiliar e retirar meias, blusas, busca objetos, abrir portas, geladeira, apertar botões como luz, elevador, campainha, puxar cadeira de rodas, etc.

Os cães que auxiliam pessoas com deficiência auditiva aprendem basicamente sete sons, como incêndio e alarme de fumaças, telefone, temporizador de forno, despertador, campainha, aviso de porta, chamado de nome do dono e choro de bebê. Segundo o instrutor K9 Marcelo Silva dos Santos e o fisioterapeuta André Fröhlich, é sempre preciso avaliar porte e temperamento do animal.