Jornais
FECHAR
  • Jornal VS
  • Diário de Canoas
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 31/08/2015 - 18h13
Última atualização em 31/08/2015 - 18h19

Malware teria roubado milhares de senhas de iPhone e iPad

Brecha de segurança ocorreu em dispositivos rodando programas de jailbreak, versões pirateadas de softwares da Apple

André Moraes - andre.moraes@gruposinos.com.br

Foto: Reprodução
As empresas de segurança Weiptech e Palo Alto Networks divulgaram ter encontrado em um banco de dados na Internet milhares de nomes de IDs da Apple, com dados e senhas de usuários. Os pesquisadores descobriram que eles foram obtidos através de um malware embutido no programa de jailbreak Cydia. O programa espião usado se chamava Keyraider.
 
Jailbreak é como são chamados os programas de pirataria para produtos da Apple. Como a marca da maçã trabalha com formatos proprietários e tem sistemas fechados, muita coisa para configurar software não está acessível ao usuário. Alguns usuários utilizam, então, programas para romper as salvaguardas impostas pela Apple. É o chamado jailbreak (fuga da prisão).
 
Outras modalidades de jailbreak envolvem pirataria de software mesmo, e consistem em desbloquear ou roubar programas sem ter que pagar por eles na App Store. 
 
O malware que teria sido usado por hackers para furtar os IDs de usuários estava embutido, justamente, em um destes programas para fugir do controle da Apple. Todos os roubos teriam sido de dispositivos dos próprios usuários que estavam rodando o Cydia. Não foi uma brecha de segurança da Apple, mas de usuários que tinham programas não autorizados. A imprensa especializada nos EUA está chamando a atenção para o risco de usar este tipo de programa justamente por causa disso. O Cydia não é o responsável, em si, pela infecção. O malware foi embutido por hackers nos sites de distribuição de versões mais antigas do app.
 
A informação seria que o grupo que originou a invasão seria da China. Com os IDs roubados, hackers podem fazer compras em nome do usuário nas lojas da Apple e até mesmo assumir o controle de dispositivos.
 
Conselhos para quem, por acaso, usar programas de jailbreak são desinstalar estes softwares e modificar o Apple ID a partir de um dispositivo externo seguro.
 
 
 
 

Publicidade