Jornais
FECHAR
  • Jornal VS
  • Diário de Canoas
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 05/10/2015 - 18h27
Última atualização em 05/10/2015 - 18h36

Paraíso no sopé da Serra

Cascatas de águas límpidas, uma certa dose de aventura em trilhas no meio da mata e as boas-vindas de seu povo: é assim Maquiné

Cascata da ForquetaMaquiné, no sopé da Serra do Mar, é cercada de belas paisagens. O verde da Mata Atlântica e a brisa das mais de dez cascatas espalhadas pela região, abrigam um município pouco explorado pelo turista. A mata fechada e as trilhas desconhecidas, procuradas por esportistas experientes, acaba sendo empecilho para quem deseja conhecer Maquiné.
 
Mas nem isso tira o brilho da cidade, que atrai cada vez mais outros visitantes, os apreciadores de cachoeiras, das caminhadas pelas ruas de chão batido e até mesmo aqueles que desejam realizar o chamado turismo ecológico. “É uma região rica em beleza e com uma grande concentração de cascatas e cachoeiras, e sua natureza pouco explorada se deve ao fato dela fazer parte da Serra Geral, isto é, não se pode fazer nada em determinados locais além de visitar e deixar como está”, comenta o Eduardo Gayger, técnico em Turismo da empresa Guiaventura, de Campo Bom.
 
O município litorâneo, mas fora da orla marítima e do outro lado da BR-101, faz divisa, ao sul, com o município de Osório; ao norte, com o Rio Maquiné e os municípios de Terra de Areia e São Francisco de Paula; ao oeste, com Riozinho e Santo Antônio da Patrulha; a leste, com o município de Capão da Canoa. “Existem vários caminhos, atrativos naturais e culturais para conhecer em Maquiné em qualquer dia, para isso, é preciso agendamento com guias locais ou pode ser feito autoguiado. Como os moradores são muito receptivos, sempre procuramos fazer este contato das pessoas das grandes cidades que participam das caminhadas com os 'nativos'”, revela Gayger.
 
Duas das maiores cascatas de águas límpidas da cidade, a Garapiá, a 12 quilômetros do centro, com 30 metros de altura; e a Escangalho, a 6 quilômetros, com 70 metros de altura, têm acessos por estrada de chão em bom estado. Essas duas cascatas são formadoras do Rio Maquiné, onde outra atração são as fortes corredeiras. Suas nascentes são formadas com as mais puras águas do Estado. Além das árvores exóticas, como a palmeira Tucum, e animais de várias espécies é possível degustar nos restaurantes de Maquiné verdadeiras delícias caseiras. O atendimento nos estabelecimentos é formidável e você vai querer voltar muitas outras vezes para desbravar novos caminhos de Maquiné.
 
 
SERVIÇO
O quê: Próximo destino da Guiaventura – Caminhada no município de Derrubadas, no Salto do Yucumã.
Onde: Derrubadas – Parque Estadual do Turvo
Quando: nos dias 10 e 11 outubro, sábado e domingo.
Percurso: 15 km
Nível: Médio
Saída: Campo Bom – próximo à Unimed.
Valor: R$ 255,00 por pessoa (inclui: transporte, guias, seguro, pernoite em cabanas, janta, café da manhã, serviço de bordo).
O lugar: Criado em 11 de março de 1947, como Reserva Florestal, o Parque Estadual do Turvo foi uma das primeiras unidades de conservação instituídas no Rio Grande do Sul, sendo a maior área protegida integral do Estado. Cerca de 17.500 hectares de floresta permitem abrigar mais de 700 espécies de plantas, quase 290 espécies de aves, mais de 30 espécies de mamíferos de médio e grande porte e muitas espécies raras, ameaçadas de extinção.
Site: www.guiaventura.com.br
Facebook: /guiaventura
Informações: (51) 9811-9531.

Publicidade