Compartilhar...

VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Férias

Uma pausa na tecnologia, para aproveitar as férias na vida real

A tecnologia proporciona conhecimento e entretenimento, mas o uso excessivo pode acarretar problemas. Os sintomas de abstinência, inclusive, são parecidos com os de outras dependências
Redes sociais e aplicativos como o WhatsApp já fazem parte do cotidiano de milhares de usuários. Internet, telefone celular e as novas tecnologias vão transformando os comportamentos e formas de se relacionar com a família e amigos. Há inúmeras vantagens, desde a economia até a facilidade de contato. Porém há também coisas para as quais estar atento, como a necessidade de usar o bom senso e estabelecer limites. Especialmente agora, na época de férias.
As tecnologias proporcionam conhecimento e entretenimento, mas o uso excessivo pode acarretar problemas. Nesta última semana, correu o mundo o vídeo de uma mulher chinesa que morreu após se distrair enquanto teclava no smartphone e cair dentro de um rio. Em escala não tão dramática, a compulsão por se manter conectado o tempo todo pode criar dificuldades no estudo, no trabalho e até na vida familiar. No Brasil, já começam a surgir terapias para a dependência digital, como o grupo Dependência de Internet, serviço do Ambulatório de Transtornos do Impulso do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo.
A reportagem foi às ruas para entender como os usuários agem no dia a dia para conciliar o mundo real e as tentações do mundo virtual. Também ouviu especialistas em tecnologia, que, justamente, destacaram as grandes vantagens envolvidas nos novos dispositivos de telecomunicação, mas também ressaltaram a necessidade de estabelecer limites.
Foto: Dariele Gomes
Nessas férias, deixe o celular de lado, para aproveitar seus amigos, família e o local onde estiver
Tecnologia a favor

Para a Professora do curso de Psicologia da Universidade Feevale Cláudia Maria Teixeira Goulart, o principal motivo do uso desenfreado das tecnologias é a dificuldade de ter limites. Cláudia explica que para cada fase da vida a dificuldade de ter limites é vivida de formas diferentes. “Quanto menor a criança, menor é a condição de se limitar, por isso é importante os pais estarem por perto para fazer isso. Está cada vez mais difícil encontrar o limite e chegar no que seria saudável.”
Segundo a professora, há pesquisas que mostram que os sintomas da abstinência de uso das tecnologias são muito parecidos com os de outras dependências. “A pessoa pode ter ansiedade, insônia, se tornar agressiva e até chegar a uma depressão.” O tratamento indicado quando se perdem os limites é a psicoterapia. “Definitivamente, é preciso educar e usar a tecnologia a nosso favor. O problema não é a tecnologia em si, mas o uso que se faz dela. Internet e celular não podem ser tratados como brinquedos. A Internet é como a estrada da sociedade digital e o celular é o veículo para trafegar nesta rua, sem fronteiras internacionais ou culturais.” Sobre dicas, Cláudia orienta que mesmo virtualmente, as pessoas não se fixem somente nas redes sociais e jogos, mas que ouçam músicas, assistam vídeos, leiam livros on-line.


Psicóloga dá dicas para um uso saudável e positivo

A psicóloga, especialista em neuropsicologia e reabilitação neurocognitiva Andrea Varisco Dani, de Novo Hamburgo, diz que as tecnologias são muito importantes e grandes facilitadoras, mas que seu uso precisa ser dosado. "Não podemos, nem devemos negar ou proibir a tecnologia. Ela faz parte da nossa realidade e surgiu como forma de otimizar o tempo e nutrir as relações humanas. Entretanto, por vezes, a mesma Internet e celular que aproximam pessoas distantes, se mal utilizados também distanciam pessoas próximas".
A grande dica, segundo ela, é conseguirmos limitar. Respeitar momentos entre amigos. Não utilizar sem necessidade em ambientes sociais. Para os pais, ter o controle das horas que os filhos ficam conectados: estabelecer um X de horas por dia e, após, cortar. Também observar com quem os filhos estão conectados. Dica para os casais é que tenham seus momentos a sós sem celular e tablet. Parece pouco, mas pode ser o momento do dia de conversarem sobre como foi o dia de cada um. Estabeleça horários para verificar e-mails. Não abra Redes Sociais constantemente. Facebook, Twitter, Youtube e afins estão repletos de conteúdo fascinante e que nos faz perder horas e horas. Estabeleça horários para as redes sociais favoritas.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS