Compartilhar...

VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Em troca de votos

Prefeita eleita de Ivoti estaria envolvida em fraude para furar fila do SUS

Maria de Lourdes Bauermann é investigada pelo MP sob a alegação de facilitar a marcação de consultas e cirurgias
Fábio Radke/GES-Especial
Maria de Lourdes Bauermann foi eleita prefeita de Ivoti com 66,54% dos votos nas últimas eleições
A prefeita eleita de Ivoti, Maria de Lourdes Bauermann (PP), é alvo de uma investigação do Ministério Público que apura uma suposta fraude para furar a fila do Sistema Único de Saúde (SUS). O esquema, que teria sido montado pela própria política, agilizava marcações de consultas e cirurgias. Em troca, Maria de Lurdes receberia votos dos beneficiados. Maria de Lourdes nega a acusação.
A fraude no município aconteceria há pelo menos três anos. Outras pessoas também teriam tido prioridade para a realização de cirurgias estéticas, pagas com dinheiro público. A denúncia foi feita por um funcionário da Secretaria Municipal de Saúde, que preferiu permanecer anônimo.
Ministério Público Estadual
Para possibilitar o atendimento, os pacientes de Ivoti seriam cadastrados no SUS com endereços de Taquara. No município do Vale do Paranhana, as vagas seriam obtidas por meio da Secretaria de Saúde supostamente após a desistência de pacientes que também estavam na fila. De acordo com o coordenador da promotoria especializada criminal do Ministério Público Estadual, Flávio Duarte, a investigação deve apurar  quais os motivos pelos quais a prefeita eleita e outra pessoa ajudavam  essas pessoas e como era feito o processo de marcação por Taquara.
"Fomos procurados pelo denunciantes e, através dos cadastros das  pessoas residentes em Ivoti e marcadas por Taquara vimos essa  irregularidade. O primeiro indicativo foi notar que eles conseguiam essa  consultas com muito menos tempo de espera por intermédio do outro
município. Ouvimos algumas dessas pessoas e elas não sabiam do processo  passando por Taquara, admitiam apenas que não era feito pela prefeitura de Ivoti. Algumas vezes eram casos graves, mas apuramos casos de pessoas que queriam aumentar o grau do óculos, cirurgia de pálpebras e  de nariz, provavelmente estéticas", comenta o promotor, destacando ainda  que quase todas as pessoas faziam parte de um determinado partido político. Ele destacou que os dados estão sendo solicitados junto à  Secretaria de Saúde do Estado e que os acusados serão ouvidos antes da  conclusão do processo.
Segundo o prefeito de Ivoti, Arnaldo Kney, a procuradoria do município deve se inteirar dos fatos na próxima segunda-feira (24).
Prefeita eleita nega acusações
À reportagem do Jornal NH, Maria de Lourdes negou envolvimento na fraude e agradeceu o apoio que tem recebido da comunidade. "Fui surpreendida por uma reportagem veiculada e que informa investigação relacionada à minha pessoa, em denúncia feita pela Prefeitura de Ivoti. Vale ressaltar que trata-se de uma investigação, e não uma condenação. Estou à disposição da Justiça, quando esta me solicitar informações. Mas, em respeito às pessoas, decidi me pronunciar para que possam ficar mais tranquilas e informadas. Venho recebendo grande apoio e fico emocionada com tanto carinho", afirmou . A progressista venceu a disputa para a Prefeitura de Ivoti com 66,54% dos votos. 
De acordo com o coordenador da promotoria especializada criminal do Ministério Público Estadual, Flávio Duarte, a investigação deve apurar quais os motivos pelos quais a prefeita eleita e outra pessoa ajudavam essas pessoas e como era feito o processo de marcação por Taquara. "Fomos procurados pelo denunciantes e, através dos cadastros das pessoas  residentes em Ivoti e marcadas por Taquara vimos essa irregularidade. O primeiro indicativo foi notar que eles conseguiam essa consultas com muito menos tempo de espera por intermédio do outro município. Ouvimos algumas dessas pessoas e elas não sabiam do processo passando por Taquara, admitiam apenas que não era feito pela prefeitura de Ivoti.  Algumas vezes eram casos graves, mas apuramos casos de pessoas que queriam aumentar o grau do óculos, cirurgia de pálpebras e de nariz, provavelmente estéticas", comenta o promotor, destacando ainda que quase todas as pessoas faziam parte de um determinado partido político. Ele destacou que os dados estão sendo solicitados junto à Secretaria de Saúde do Estado e que os acusados serão ouvidos antes da conclusão do processo.
Segundo o prefeito de Ivoti, Arnaldo Kney, a procuradoria do município deve se inteirar dos fatos na segunda-feira.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS