Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Motores
Motores

Desenvolvido no Brasil, Honda WR-V chega em março

SUV compacto com motor 1.5 tem visual aventureiro e é feito sobre a plataforma do Fit
Adair Santos/GES-Especial
O Honda SVU subcompacto chega em março ao mercado nacional
O novo carro da Honda, o WR-V, chega em março ao mercado nacional. O SUV subcompacto já está sendo fabricado em Sumaré, interior de São Paulo, e preencherá a lacuna hoje existente entre o monovolume Fit e o SUV compacto HR-V. Os preços não foram divulgados, mas deverão começar na casa dos 65 mil reais. O workshop de apresentação ocorre nesta terça-feira (31) e o lançamento à imprensa já tem data e local marcados: 13 e 14 de março em Foz do Iguaçu, no Paraná.
O líder geral do projeto WR-V, Luís Marcelo Kuramoto destaca que este é o primeiro modelo totalmente desenvolvido pela Honda do Brasil, norteado no conceito Little Giant, ou "pequeno gigante". O líder de design, Edison Matsuzake observa que o carro oferece bom espaço interno, é prático para carregar grandes volumes e tem acabamento composto por tecidos e revestimentos diferenciados. "O metal feeling, que são os detalhes prateados, passa a sensação de requinte e tecnologia", salienta.
O WR-V é o quinto a ser produzido no Brasil, juntamente com Civic, City, HR-V e Fit. Em 2016, a fábrica de Sumaré - inaugurada em outubro de 1997 e que emprega 3 mil funcionários - produziu 120 mil veículos. No País, a Honda já montou 1,6 milhão de unidades em duas décadas.
  • Carro oferece bom espaço interno, é prático para carregar grandes volumes e tem acabamento compostos por tecidos e revestimentos diferenciados
    Foto: Adair Santos/GES-Especial
  • O powertrain é o mesmo do Fit: motor 1.5 FexOne
    Foto: Adair Santos/GES-Especial
  • A direção é elétrica e a suspensão traseira do tipo eixo de torção
    Foto: Adair Santos/GES-Especial
Motor 1.5 e câmbio CVT
O powertrain é o mesmo do Fit: motor 1.5 FexOne (115 cv de potência com gasolina e 116 com álcool, bem como 15,2 kgfm e 15,3 kgfm de torque, respectivamente), aliado ao câmbio CVT. A direção é elétrica e a suspensão traseira do tipo eixo de torção, enquanto os pneus são exclusivos, na medida 195/60 R16, privilegiando o conforto.
O modelo tem quatro metros de comprimento, 2,55 metros entre-eixos e 1,57 metro de altura. Seu porte é idêntico ao do Fit, já que usa praticamente a mesma carroceria e a plataforma, mas com algumas modificações, a exemplo da maior altura em relação ao solo, de 20 cm, contra 15 cm do Fit.
O design dos faróis e das lanternas em forma de "C" é diferente em relação aos demais modelos da marca. Externamente, chamam a atenção os apliques pretos nas molduras das caixas de rodas, o que confere um visual Cross e será o padrão para todas as versões.
Por dentro, adota as mesmas soluções de modularidade do Fit, com bancos traseiros que podem ser rebaixados e levantados para carregar um vaso de flores, por exemplo. O painel também tem visual idêntico ao do Fit, tanto nas linhas como nos materiais. O diferencial está nos bancos, com detalhes em laranja. No porta-malas, cabem 363 litros.
Nova fábrica está pronta, mas sem operação
A segunda fábrica da marca no Brasil, em Itirapina, interior de São Paulo, recebeu um bilhão de reais em investimentos e tem capacidade para 120 mil veículos ao ano, mas ainda está em stand by em função da retração do mercado nacional de veículos. Sua inauguração deveria ter ocorrido no início de 2016.
Viagem a convite da Honda

Motores

por Adair Santos
abcmotores@gruposinos.com.br

Gasolina na veia - O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet sempre alardeava que nas suas veias não corria hemoglobina, e sim gasolina. Uma anomalia genética que atinge milhões de pessoas no mundo e, pelo jeito, não tem cura. Jornalista há 15 anos, Adair Santos é um desses anormais que literalmente respiram tudo que diz respeito a veículos. Editor do caderno Motores, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, é apaixonado por carros, motos e aviões - ou seja, tudo o que tem motor, exceto a maquininha de obturação do dentista. Motores invade a rede - Os carros recém-lançados, aqueles protótipos bizarros que talvez nunca cheguem às ruas, dicas úteis sobre veículos e testes exclusivos. Além da versão impressa, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, agora as notícias sobre veículos contam com este importantíssimo espaço virtual para serem divulgadas. Não deixe de participar mandando sugestões e, quem sabe, até um flagrante fotográfico de um veículo que ainda está em fase de testes e futuramente vai ser fabricado no Brasil. Eu e minha máquina - Se você tem orgulho da sua máquina, seja ela um carro antigo ou novo, motocicleta, um triciclo ou até bicicleta, envie sua foto. Junto, informe seu nome completo e idade, cidade onde reside, telefone para contato, marca, modelo, ano de fabricação do veículo e desde quando tem ele na garagem. Mas atenção: não vale mandar só a foto do carro ou moto, você também tem que aparecer na imagem. Então, mãos à obra: passe uma cera na lataria, um gel no cabelo e faça o registro fotográfico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS