Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
'Ataque terrorista'

Caminhão avança sobre soldados e mata quatro pessoas em Jerusalém

Outras 15 pessoas ficaram feridas; motorista foi baleado e morto no local
Menahem Kahana/AFP
Ataque é considerado ato de terrorismo por autoridades
Um caminhão dirigido por um palestino avançou sobre soldados numa movimentada avenida em Jerusalém, matando ao menos quatro pessoas e ferindo outras 15, de acordo com a polícia israelense, que classificou o incidente como um ataque deliberado. Os mortos são três mulheres e um homem, todos na faixa dos 20 anos. O motorista foi baleado e morto no local. "É um ataque terrorista", declarou uma porta-voz da polícia local, em entrevista à Israel Radio, que noticiou que corpos estavam "espalhados pela rua".
Uma testemunha, que se identificou apenas como Moshe, disse à rádio que o caminhão atropelou um grupo de soldados, que revidaram disparando contra o motorista, que deu a volta e jogou o veículo novamente contra o grupo. "Eles atiraram até ele ser neutralizado", disse a testemunha.
Em entrevista ao jornal local Haaretz, o chefe de polícia Roni Alsheich descreveu o atropelamento como um ataque terrorista, e afirmou que o motorista veio de Jerusalém Oriental.
De acordo com a Associated Press, a polícia local informa que o caminhão avançou sobre um grupo de soldados, que tinha acabado de desembarcar de um ônibus. O incidente aconteceu perto da avenida Armon Hanatziv, uma atração turística de Jerusalém por causa da vista para a Cidade Antiga. O trânsito na área foi bloqueado.
Desde o ano passado, ataques cometidos por palestinos provocaram a morte de 36 israelenses e dois visitantes americanos, a maioria por esfaqueamento. Durante o mesmo período, 229 palestinos foram mortos por agentes de Israel. Autoridades israelenses alegam que a violência é provocada pelos palestinos, que defendem que a violência é resultado da ocupação israelense.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS