Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Gestão

Prefeitura de Campo Bom deve R$ 14 milhões e Orsi fala em "superar dificuldades"

Em uma coletiva de imprensa, Luciano Orsi falou também da renovação de contratos e da precariedade das instalações
O prefeito Luciano Orsi reuniu a imprensa na manhã desta quarta-feira para falar sobre a atual situação da prefeitura de Campo Bom. De acordo com Orsi, somente a dívida com o Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores Municipais (Ipasem) ultrapassa os R$ 6 milhões. "Um dos maiores problemas que estamos enfrentando é este débito com o Ipasem. Já acionamos o jurídico e estamos providenciando para que haja o parcelamento deste débitos. E isso nos impossbilita, na prática, até o recebimento de recursos, precisamos desta negativa para obter recursos", explica Orsi. Ainda segundo o prefeito de Campo Bom, há em caixa 16 milhões e as dívidas chegam aos 14 milhões, somando Ipasem e outros débitos, entre eles atrasos com fornecedores. "Teoricamente há verba em caixa, mas são verbas específicas que não podem ser utilizadas para este fim. Há dinheiro, mas não há efetividade. Vamos trabalhar para superar estas dificuldade”, diz Luciano Orsi.
Além dos problemas financeiros do município, o prefeito falou sobre a quebra de contratos importantes como o de fornecimento de combustível, coleta de lixo da saúde, ônibus para consulta e exames e fornecimento de gás, e de locações de imóveis que abrigam o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), depósitos da secretaria de administração, de merenda escolar e de marcação de consulta da Secretaria de Saúde, que segundo ele deveriam ter sido prorrogados pela gestão anterior. "Os contratos com encerramento em 31 de dezembro não poderiam ser prorrogados por nós em janeiro, na prática seria entendido que estávamos fazendo um novo contrato e sem licitação. Acreditávamos que por serem importantes eles fossem ser prorrogados antes de assumirmos”, conta prefeito Orsi, que falou também sobre arquivos que teriam sido deletados dos computadores entre os dias 29 e 31 de dezembro, incluído informações sobre agendamento de consultas. “Para nossa surpresa foram deletados arquivos importantes, simplesmente eles sumiram do computador, como por exemplo, licitações. Alguma coisa conseguimos recuperar, mas muitas não, foi um prejuízo bastante grande. A gente lamenta, nos traz dificuldades adicionais. Também ocorreu em relação a documentos de marcações de consultas. Dentro do setor de saúde, também houve arquivos excluídos. Por isso, pedimos para comunidade conferir com a gente estes agendamentos”, observa o prefeito.
Obras
Outro ponto levantado por Orsi durante a coletiva de imprensa foi o atraso na obra da Escola Edmundo Strassburger. “A administração anterior disse que o contraturno poderia voltar em fevereiro, mas a gente verificou que vamos precisar de um período maior. A empresa já foi notificada em relação ao atraso. Vamos procurar de alguma maneira superar dificuldade e no menor tempo possível cumprir este compromisso que a partir de agora é nosso”, destaca. A situação da secretaria de Obras também foi comentada pelo novo prefeito. “Constatamos que é bem pior do que a gente esperava, está totalmente deteriorada. A instalação elétrica está com problemas, os postes de sustentação estão podres e com algum tipo de escora não muito apropriada. Estamos estudando a possibilidade de realocação da secretaria, é uma questão urgente, até porque as pessoas estão trabalhando dentro destas condições”, avalia.
Ainda de acordo com Luciano Orsi, o piso do Centro Administrativo também está bastante comprometido. “Está solto, tem tapetes no lugar dos buracos. É uma questão que devia ter sido resolvida”.
Espelhos d'água
A antecipação do fim do contrato com a empresa que fazia a manutenção nos espelhos d'água do Largo Irmãos Vetter, também foi questionada por Orsi. "O contrato se encerraria no dia 31 de dezembro e foi antecipado para o dia 1º de dezembro, desde lá não houve manutenção. Se tivesse ido até o final, como antes era previsto, a situação não teria chegado a este ponto, é questão de saúde pública em meio a todo o combate ao mosquito Aedes aegypti. Nos comprometemos em limpar até o final de semana”, conclui.
Veículos
Os veículos da prefeitura também estariam em péssimas condições, conforme Orsi. “Muitos estavam parados e por falta de manutenção. Tivemos que inclusive montar equipes para a manutenção destes veículos e de máquinas. Percebemos que depois da eleição houve uma descontinuidade dos serviços”, relata.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS