Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Cris Manfro

Que só a morte nos separe!

"A minha mãe já dizia que numa relação é preciso aprender a engolir sapos"

Cris ManfroCris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar

acmanfro@terra.com.br

Seja onde for, na igreja, na praia, em Paris ou em Vegas, no momento em que você decide juntar as escovas de dentes com alguém, você realmente deseja que seja até que a morte separe. Caso você não tenha desejado que a relação com seu amor seja para sempre, algo já está errado. Quem sabe você não tenha se juntado a alguém com tanta certeza assim, de querer essa pessoa a seu lado.

Quando se tem amor, se quer o outro para toda a vida e se acredita nisso. “Infinito enquanto dure”, mas que esse dure seja para sempre, assim pensa quem ama. Porém, não é tão simples assim. A minha mãe já dizia que numa relação é preciso aprender a engolir sapos. No científico se diria que é preciso relevar as picuinhas e não exagerar nas expectativas. Todo casamento inicia cheio dessas expectativas, mas aos poucos você precisa por os pés no chão e aprender a lidar com um casamento real e com a onda de frustração que acompanha. Você sabia que o outro tinha defeitos, mas você não esperava tantos né? E tão pouco esperava que o outro reclamasse tanto de você, que era a perfeição personificada.

Para que o casamento possa ser verdadeiro e estável, ele precisa passar pela frustração de saber que as coisas nem sempre saem e são como o planejado. E que tão pouco o outro é o que você idealizou. É preciso sobreviver à decepção da ilusão. Picuinhas não faltarão para que vocês se estressem. Pelo contrário, vocês terão motivos de sobra para se estressarem a partir da convivência, e poder superar e achar jeitos eficazes de lidar com as pequenas grandes decepções será a grande chave para que a relação seja até que a morte os separe.

Que seja assim: para todo sempre, amém! Mas não por conveniência, ou por acomodação! Que seja pelo desejo real de fazer dar certo. Que seja pela vontade de ficar juntos. Que seja pela capacidade de juntos enfrentarem os diversos desafios da vida. Que seja pela esperança renovada a cada fase superada e vencida. Que seja por todos os planos feitos e a espera de serem conquistados. Que seja pelo desafio de seguir o caminho desbravando o conhecimento um do outro e da relação. Que seja pelo desejo real de somente se separar do outro quando não tiver outro caminho.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS