Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Dom Zeno Hastenteufel

Ele é a fonte da Água Viva

Leia artigo de Dom Zeno Hastenteufel

d. ZenoD. Zeno Hastenteufel é bispo da Diocese de Novo Hamburgo

Uma parcela do povo de nossa Diocese, mais uma vez, experimentou a força das águas na noite de 4 para 5 de janeiro, quando, em questão de minutos, a cidade de Rolante ficou inundada e a população rural de Rolante e Riozinho teve perdas irreparáveis com aquelas águas que jorraram morro abaixo, levando tudo o que havia, desde os animais domésticos que dormiam nas estrebarias e pocilgas, até os enormes eucaliptos que eram arrancados da terra e tudo seguia rio abaixo. Ninguém poderia imaginar que tudo isto foi feito pela força das águas mansas do riozinho que rola mansamente há tantos anos. Mas a água é assim, por onde ela passa produz seus efeitos. Deixa sua marca. Por isso, queremos hoje lembrar aquelas gotinhas de água derramadas em nossas cabecinhas de recém-nascidos quando nos foi dito: “Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”

Nós fomos batizados e nunca mais precisamos de novo batismo. Basta assumir e começar uma nova fase na vivência de nossa fé e de nossa vida cristã. É neste contexto que nós devemos interpretar as palavras que Jesus proferiu para a samaritana: “Todo aquele que bebe desta água terá sede de novo. Mas quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede. E a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água que jorra para a vida eterna” (Jo 4,13-14). Jesus fala de uma fonte de água viva que jorra dentro de cada um de nós. É o batismo que vigora a vida toda e tem a força de nos impulsionar para o bem, para o testemunho e para a missão.

Como é que então se compreende que tantos cristãos batizados, de Primeira Comunhão feita, hoje estão completamente paralisados em sua fé. Estão indiferentes diante de todos os apelos da fé e da vida cristã.

Os oito anos de nossa Missão Continental, em nossa diocese, estão nos ensinando que, infelizmente, grande parte de nossos cristãos nunca foram evangelizados; nunca souberam o que é mesmo o sacramento que receberam; nunca lhes foi dito que pelo batismo estão unidos e vinculados a Cristo Jesus, vivo e ressuscitado. É hora de descobrir a força que brota de um coração convicto de ser cristão, testemunha de Jesus Cristo e portador da boa nova da ressurreição.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS