Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Três Coroas

Danças sagradas e boas energias na chegada do ano-novo tibetano

Segundo a filosofia, o ano que se iniciou é o do galo de fogo, podendo ser chamado também de ano do pássaro de fogo

Juliana Nunes/GES-Especial
Celebração do ano-novo tibetano
O Chagdud Gonpa Khadro Ling (Centro Budista), em Três Coroas, comemorou na manhã deste domingo (05) o ano-novo tibetano (Losar). A celebração contou com danças sagradas do budismo tibetano que simbolizam o poder da intenção positiva de evitar que qualquer escuridão, distúrbios ou energias negativas do ano que passou sejam levadas para o ano seguinte.

Confira fotos do ritual

  • Público encarou a chuva para conferir a cerimônia
    Foto:Juliana Nunes/GES-Especial
  • Simbolismo e energia fizeram parte da manhã de domingo
    Foto:Juliana Nunes/GES-Especial
  • Público lotou o centro budista para acompanhar cerimoniais
    Foto:Juliana Nunes/GES-Especial
  • Famosas máscaras e carrancas durante apresentação
    Foto:Juliana Nunes/GES-Especial
  • Cerimônias que marcam a chegada do ano-novo tibetano
    Foto:Juliana Nunes/GES-Especial
  • Centro Budista de Três Coroas
    Foto:Juliana Nunes/GES-Especial

Segundo a filosofia, o ano que se iniciou é o do galo de fogo (podendo ser chamado também de ano do pássaro de fogo). Realizadas com máscaras e roupas elaboradas, as danças também celebram a aspiração de que a paz e a harmonia aumentem para todos os seres.“Depois que são removidos os obstáculos, nas duas primeiras danças, invocamos as bençãos. E não é só para quem está participando ou assistindo, mas para todos os seres”, diz Jigme Tromge Rinpoche, mestre treinado por Chagdud Rinpoche, seu pai e o fundador do Templo Budista de Três Coroas.

Veja o vídeo da celebração

E até quem não é adepto da filosofia fez questão de participar. Como a gerente Daiana Webler, 37 anos. “Sou de Novo Hamburgo e é a primeira vez que acompanho o Losar. Já tinha vindo no Templo outras vezes e achei muito legal, tem uma energia boa, diferente, Foi isso que me fez ter vontade de estudar o budismo. Já comecei a ler algumas coisas”, comenta.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS