Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Desastre natural

Após vendaval, 1.600 pessoas estão desabrigadas em São Francisco de Paula

Segundo Bombeiros, 500 famílias foram atingidas pelo temporal

Leandro krummenauer/Especial
Ao menos quatro bairros ficaram destruídos após temporal e forte vendaval
A ventania que atingiu São Francisco de Paula por volta das 8h deste domingo (12) e provocou a morte de uma pessoa reduziu a escombros centenas de residências e deixou 1.600 pessoas desabrigadas.

Segundo o Corpo de Bombeiros, 270 residências foram destruídas e 500 famílias, atingidas pela ventania repentina. O prefeito da cidade, Marcos Aguzzolli, chegou a dizer que 400 casas tinham ido ao chão. Os bairros mais atingidos pela forte ventania foram Santa Isabel, São Miguel, Gaúcha, Pedra Branca e Querência.

Maurício da Silva Borges/Especial
Paredão de nuvens se aproximando de São Chico na manhã deste domingo
Mais de 80 pessoas feridas já receberam atendimento dos Bombeiros. A corporação desmentiu, entretanto, que haja desaparecidos, como informado anteriormente (o prefeito Aguzzolli falou em pelo menos 10 desaparecidos). Uma segunda morte, cogitada durante a manhã de hoje, também foi descartada pela porta-voz dos Bombeiros, soldado Jéssica Assmann.

A única vítima fatal é Claudemir Gomes de Freitas, de 24 anos, que morava no bairro Gaúcha e não resistiu a um traumatismo craniano.

Hipótese de tornado ainda não se confirma

Ainda não se sabe que fenômeno atingiu o município, que fica nos Campos de Cima da Serra. A Metsul Meteorologia informou que São Francisco de Paula foi atingida "por uma tempestade severa com registro de vento destrutivo", e que ainda não é possível afirmar que tratou-se de um tornado - o que depende de mais análises. Em julho de 2003, o município foi atingido pelo fenômeno. Na época, uma pessoa morreu de ataque cardíaco.

Ainda conforme a Metsul, a "tempestade severa no município foi resultado do avanço de uma frente fria sobre o Rio Grande do Sul que organizou uma potente linha de tempestades com chuva muito intensa, raios, granizo e vento forte". 

Vento levantou casas inteiras

"Foi muito rápido. O céu preteou e ventou muito", contou Rozi Terezinha da Rosa Reis, moradora do bairro São Miguel. A família, de quatro pessoas, acordou com as paredes da casa tremendo com a força do vento. De repente, a casa, que fica à margem de um barranco, "levantou e saiu voando". Os moradores tiveram apenas escoriações. No entanto, uma vizinha deles, que dormia no momento, foi arrastada ainda na cama até o terreno deles, e atingida por um roupeiro que tombou.

Treze equipes trabalham no resgate e atendimento dos atingidos. São bombeiros de São Chico, Nova Petrópolis, Três Coroas, Canela, Gramado, Cambará do Sul, Rolante e Arroio do Sal, além de três equipes de voluntários, uma da Samu e uma de jipeiros, que alcançaram as localidades de mais difícil acesso. 

As famílias atingidas estão sendo cadastradas pela prefeitura para receber doações no Ginásio Municipal de Esportes. Pelo menos 300 pessoas já se registraram.

A necessidade maior é por lonas, colchões, cobertores, alimentos e material de higiene. A prioridade é garantir o básico, disse o vice-prefeito, Tiago Teixeira.

 

  • Defesa Civil ainda não tem números exatos sobre a destruição em São Chico
    Foto:Leandro krummenauer/Especial
  • Empresas, escolas, ginásios e residências ficaram completamente destruídas
    Foto:Leandro krummenauer/Especial
  • Bairros Santa Isabel, São Miguel, Gaúcha e Pedra Branca foram os mais atingidos pela tempestade
    Foto:Leandro krummenauer/Especial
  • Segundo relatos de moradores, casas caíram umas sobre as outras, agravando a situação
    Foto:Leandro krummenauer/Especial
  • Árvores caíram sobre a pista e prejudicaram o trânsito na RS-235
    Foto:Leandro krummenauer/Especial
  • Casas inteiras foram destruídas em São Francisco de Paula
    Foto:Leandro krummenauer/Especial
  • Ao menos quatro bairros ficaram destruídos após temporal e forte vendaval
    Foto:Leandro krummenauer/Especial
  • Casas inteiras vieram abaixo durante forte temporal na manhã deste domingo em São Francisco de Paula
    Foto:Bombeiros/Divulgação
  • Bombeiros falam em centenas de árvores caídas em São Francisco de Paula após vendaval
    Foto:Bombeiros/Divulgação
  • Na RS-235, ao menos três pinheiros caíram sobre a rodovia
    Foto:Bombeiros/Divulgação
  • Segundo os bombeiros, centenas de casas ficaram destalhadas devido à forte ventania
    Foto:Bombeiros/Divulgação
  • Árvores foram arrancadas por inteiro durante a forte ventania que atingiu São Francisco de Paula
    Foto:Reprodução/metsul/Twitter
  • Temporal com forte vento atingiu São Francisco de Paula no início da manhã deste domingo (12)
    Foto:Bombeiros/Divulgação

"Por onde eu passei, está tudo destruído. É coisa que a gente só vê na TV", afirma o empresário Leandro Krummenauer. Morador de Três Coroas, ele tem uma serralheria em São Francisco de Paula. O local  teve 80% de destruição. "Subi hoje assim que soube e fiquei chocado. Vi casas caídas uma sobre as outras e muita gente chorando. Tem bombeiros e resgate chegando a todo momento", destaca Leandro que ainda se lembra da destruição causada pelo tornado de 2003. "O que aconteceu hoje é muito pior do que o daquele ano. Está tudo destruído, no chão mesmo. São bairros pobres os atingidos e isso piora a situação."    

O município deve decretar situação de calamidade nas próximas horas, afirmou o coordenador da Defesa Civil na cidade, Maurício Borges, em entrevista à Rádio Guaíba. Os moradores atingidos precisam de ajuda, como lonas, alimentos, água, colchões. Ginásios e escolas que não foram atingidos estão recebendo a população desabrigada. Os locais também receberão doações. O número total de pessoas desabrigadas ainda não foi apurado.

Estradas

Na RS-235, ao menos três pinheiros caíram sobre a pista em pontos diferentes. Equipes fazem a limpeza da rodovia e não há bloqueio. De acordo com o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), há lentidão próximo aos locais, mas o trânsito está fluindo. A previsão é que a rodovia esteja totalmente limpa até o fim do dia.

Na RS-020, não há bloqueios, conforme o CRBM.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS