Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Confusão

Morre manifestante ferido a bala nos protestos em Caracas

Tiro teria sido disparado por policial que estava sobre uma moto

AFP
Polícia entrou em confronto com manifestantes que protestam contra o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro; ruas de Caracas se transformaram em praças de guerra

Um rapaz de 17 anos morreu nesta quarta-feira com um disparo na cabeça durante os protestos contra o governo da Venezuela, informou o estabelecimento médico em que foi atendido.

"Faleceu. Estava em um ponto da concentração da oposição e recebeu um tiro por parte de um dos agentes motorizados que antes jogavam bombas de gás lacrimogênio contra concentração", declarou à AFP o presidente do Hospital Clínicas Caracas, Amadeo Leiva.

A bala "estava alojada no cérebro. Ele entrou no hospital com sinais vitais, mas esse tipo de ferimento tem alta taxa de mortalidade", acrescentou.

A oposição venezuelana tenta marchar até a Defensoria Pública, no centro de Caracas, para exigir o respeito aos poderes do Parlamento, único poder que controla, e eleições gerais para superar a crise política e econômica.

No entanto, as forças de segurança impediram que a marcha, iniciada em 20 pontos, chegasse ao coração da cidade, onde manifestantes chavistas também protestavam.

Em várias áreas da capital foram registrados distúrbios depois que a polícia e o exército lançou gás lacrimogêneo contra os opositores do presidente Nicolás Maduro, que responderam com pedras.

Focos de distúrbios foram registrados em trechos da estrada Francisco Fajardo, a principal do país, bem como nos bairros de San Bernardino, onde o jovem foi ferido, EL Paraíso, Quinta Crespo e San Martin, no oeste da cidade, constataram jornalistas da AFP.

Os protestos contra Maduro, iniciados em 1º de abril, já fizeram cinco mortos, dezenas de feridos e mais de 200 presos.

Os opositores também manifestavam nesta quarta-feira em diferentes cidades da Venezuela.

A procuradoria, antes da morte do jovem, confirmou em um comunicado que investiga o caso.

A procuradora-geral Luisa Ortega pediu nesta quarta-feira aos órgãos de segurança do Estado "que garantam" o direito de manifestação pacífica.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS