Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Dom Zeno Hastenteufel

E a alegria da Páscoa aumenta

Leia artigo de Dom Zeno Hastenteufel

d. ZenoD. Zeno Hastenteufel é bispo da Diocese de Novo Hamburgo

Neste domingo, já pela terceira vez, a comunidade cristã celebra a Páscoa do Senhor. E, como nos domingos anteriores, o Senhor ressuscitado aparece aos apóstolos. A novidade é que nesta ocasião Ele aparece de noite, no caminho de Emaús. Os discípulos do Senhor estavam desanimados. Depois do que aconteceu na Sexta-Feira Santa, ficaram ainda em Jerusalém até o final daquela primeira feira. Como ainda não tivessem uma confirmação daquela visão que as mulheres tiveram na madrugada daquele dia, dois deles se colocaram a caminho de Emaús. Estavam voltando para casa, iriam recomeçar a vida. Estavam muito tristes diante do fracasso da cruz.

No caminho, encontraram o próprio Senhor, caminharam com ele, mas apenas O reconheceram à noite, quando estavam em casa, à mesa, ao partir o pão. Repetia-se a cena da Eucaristia, e os dois discípulos exclamaram de alegria: É o Senhor! Na mesma hora, os discípulos se levantam e voltam correndo para Jerusalém, a fim de avisar aos apóstolos que o Senhor realmente está vivo e que eles o encontraram e o reconheceram ao partir o pão, repetindo a cena da Eucaristia. Quando chegaram, encontraram os onze reunidos e estes confirmaram: “Realmente o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!” Então os dois contaram o que tinha acontecido no caminho e como tenham reconhecido Jesus ao partir o pão (Lc 24,34-35).

Enquanto isso, a primeira leitura deste domingo nos apresenta o primeiro discurso de Pedro, proferido no próprio dia de Pentecostes, diante de uma multidão: “Deus, em seu desígnio e previsão, determinou que Jesus fosse entregue pelas mãos dos ímpios e vós o matastes, pregando-o numa cruz. Mas Deus ressuscitou a Jesus, libertando-o das angústias da morte, porque não era possível que ela o dominasse” (At 2, 23-24). Pedro, o nosso primeiro papa da Igreja, fala com tal clareza a respeito de Cristo ressuscitado, que todos os ouvintes saíram de lá convencidos e prontos para receber o batismo e seguir anunciando o Senhor. É importante que nós também recuperemos esta convicção e possamos também nos dias de hoje testemunhar a nossa fé.

Na véspera do Dia do Trabalho, queremos manifestar a nossa alegria por vivermos em uma sociedade que valoriza o trabalho e que está feliz em poder trabalhar, em ter o seu emprego e poder contribuir por um mundo melhor.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS