Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Lava-Jato

Em vídeo, Dallagnol pede mobilização contra a votação do projeto de abuso de autoridade

Proposta será reapresentada nesta quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado

Facebook/Reprodução
Deltan e outros dois procuradores pediram que a população se mobilize contra a votação do projeto de lei de abuso de autoridade
Em um vídeo publicado na sua página pessoal no Facebook, o procurador e coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato, Deltan Dallagnol, pediu que a população se mobilize contra o projeto de abuso de autoridade, argumentando, junto a outros dois procuradores, que "admitir isso é calar de vez a força-tarefa da Lava-Jato e o próprio juiz Sérgio Moro", e pede que a população lute junto com a Justiça contra a impunidade e a corrupção. Em pouco mais de 15 horas, o vídeo recebeu mais de 28 mil curtidas, 114 mil compartilhamentos, 1,5 mil visualizações e 2,7 mil comentários.

O projeto deve ser reapresentado nesta quarta-feira (19) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para votação. O relator Roberto Requião (PMDB-PR) deve apresentar um substitutivo, baseado nas sugestões feitas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A ideia de relator, segundo o jornal O Globo, é reduzir a resistência ao texto, assinado originalmente pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado. "Será um relatório que garanta a ação dos procuradores, mas que impeça que juízes naveguem a margem da lei", afirma Requião, que negou que o projeto seja uma tentativa de barrar as investigações da Lava-Jato. Ele também disse ser um "entusiasta" da operação, mas demonstrou preocupação com as divulgações das delações premiadas.  

Assista ao vídeo:

A proposta sobre abuso de autoridade é de autoria de Calheiros, que, no fim de 2016, tentou acelerar a votação do projeto, mas, depois de ser criticado, recuou. Conforme a Folha de S. Paulo, dos 54 membros da CCJ, 20 são investigados na Lava-Jato e um total de 28 são alvos de inquéritos decorrentes da operação. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS