Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Entrada gratuita

Encontro aborda Doença de Alzheimer do ponto de vista da família

Evento ocorre na manhã deste sábado no plenário da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo

Susi Mello/GES-Especial
A psicóloga Daniela Blauth e o geriatra João Senger participam do encontro

A Associação Brasileira de Alzheimer, Doenças Similares e Idosos de Alta Dependência de Novo Hamburgo (Abraz-NH) realiza neste sábado (6) reunião aberta à comunidade sobre a doença. O encontro será das 9h30 às 11 horas no plenário da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo. Um dos fundadores da Abraz-NH, Paulo Becker, falará sobre a doença do ponto de vista da família. O encontro da associação, presidida por Clara Vargas, terá a participação do geriatra João Senger e da psicóloga Daniela Blauth, que estiveram nesta semana no Jornal NH. O evento gratuito será uma forma de trocar experiências e novos aprendizados com familiares, cuidadores e profissionais da saúde.

A doença de Alzheimer é uma enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, mas deve ser tratada. Ela atinge especialmente pessoas com mais de 65 anos, mas pode ser retardada com cuidados da saúde, tanto dos aspectos físicos, como no controle de ansiedade, estresse, depressão e questões cognitivas, com prática de atividades, como pintura, leitura e até aprendizado de outros idiomas. A doença começa com alterações na memória (esquecer, por exemplo, como ligar um computador) e em estágio mais avançado alterar o comportamento (ficar agressivo ou ter distúrbios no sono, por exemplo). "É uma doença crônica degenerativa ", ressalta Senger, acrescentando que a família é de extrema importância nestes casos, porque quem cuida deve estar bem. A ideia do encontro, complementa Daniela, é encontrar estratégias para acolher, apoiar e olhar para frente.

Saiba mais

Doença - Não se usa mais o termo Mal de Alzheimer e sim Doença de Alzheimer. A enfermidade crônico-degenerativa provoca uma perda lenta e progressiva de neurônios, que se inicia na região cerebral relacionada à memória. 

Sintomas - Sintomas iniciais são dificuldades com atividades corriqueiras, que passam a apresentar situações como perder-se em locais conhecidos. Além do mais, ocorrem alterações de comportamento, como ansiedade, depressão, agressividade e intolerância.

Tratamento - Há apenas medicamentos que atuam como sintomáticos (atenuam os sintomas), mas que retardam a progressão da enfermidade. Infelizmente não há tratamento curativo. 

Paciente - O perfil é de quem tem história familiar da doença, enfermidades como hipertensão, diabete, tabagistas, pessoas muito ansiosas, deprimidas e estressadas.

Prevenção - Bons hábitos de vida com cuidados alimentares, prática de exercícios e atividade que mantenham a mente ativa, como leitura, aprendizado de outro idioma, pintura e até manter o hábito de cantar.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS