Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Aurélio Decker

Informações urgentes, importantes!

Leia artigo de Aurélio Decker

Jornalista Aurélio DeckerAurélio Decker é jornalista

aureliodecker@sinos.net

Semana passada, participei de reunião no Banco de Alimentos, com 26 representantes de organizações que atuam em apoio aos moradores de rua em Novo Hamburgo, número que se imagina seja em torno de 90. A reunião foi coordenada pelo presidente do Pensando Novo Hamburgo, Neli Silveira, meu amigo Miudinho. Em nome daqueles que permaneceram por duas horas discutindo sobre o tema moradores de rua naquela reunião, faço um apelo para TODAS as organizações: por favor, liguem para 3527-0044 ou 9 9259-6692 para prestar estas informações: a) nome do grupo que atende moradores de rua; b) quantos integrantes tem o grupo; c) quantos (aproximadamente) moradores de rua a organização atende; d) em que dia da semana é feito o atendimento.

Na reunião da semana passada, imaginou-se que havia 40 grupos ainda não identificados. Não há obrigatoriedade de se identificar, de atender ao pedido que faço, obviamente. Mas este contingente de pessoas pode – somando-se aos já identificados – mostrar que mais de 500 pessoas se mobilizam na assistência aos moradores de rua, não se considerando neste número mais de uma dezena de pessoas que, integrando a Secretaria de Desenvolvimento Social, lidam com o tema. Estamos falando, então, embora ainda não oficialmente, num pequeno exército de abnegados, bem intencionados, que usa parte de seus períodos de descanso ou lazer para fazer o bem. Mas e a reciprocidade? Tem sido à altura do tamanho destes corações? Quais são os mínimos deveres dos moradores de rua em retribuição – embora não exista obrigatoriedade? Há como cessar a venda, em brechós, por moradores de rua, de roupas doadas? Pode estar acontecendo assistencialismo não deliberado, por excesso de doações? O que se pode melhorar para as condições de vida de quem dorme nas ruas, tipo mais sanitários, mais presença da Guarda Municipal, para dar proteção à população e também aos moradores de rua? Respostas serão avaliadas no próximo dia 20, às 19 horas, na Horta Comunitária Joanna de Angelis, no bairro Rondônia.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS