Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Preso em Brasília

Juiz federal de Brasília mantém prisão de Geddel Vieira Lima

Ex-ministro nega ter tentado atrapalhar investigações da Lava Jato

Valter Campanato/Agência Brasil
Ex-ministro e ex-vice-presidente da Caixa, Geddel Vieira Lima está preso desde segunda-feira
O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, manteve a prisão do ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), preso preventivamente desde a última segunda-feira. Nesta quinta, Geddel participou de uma audiência de custódia perante o magistrado. Ele negou qualquer tentativa de obstrução de Justiça, principal motivo que o levou a ser detido. A defesa tentou trocar a prisão preventiva por medidas cautelares alternativas, como a proibição de sair de casa.

Para tentar o benefício, Gamil Föppel, advogado de Geddel, citou o exemplo de Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor especial do presidente Michel Temer, preso por ordem do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), e depois solto, mas com a obrigação de seguir algumas restrições, como usar tornozeleira eletrônica. O Ministério Público Federal (MPF) foi contra, ressalvando que, em momento posterior, o quadro pode mudar e o pedido poderá ser apreciado novamente.

"Eu mantenho aqui o que eu já coloquei na decisão de que há esses indícios de autoria e materialidade quanto ao custodiado que levaria aos requisitos da prisão preventiva", decidiu o juiz Vallisney.

O pedido para prender Geddel foi feito pelo MPF e pela Polícia Federal (PF). O ex-ministro, do grupo de peemedebistas próximos ao presidente Michel Temer, é acusado de tentar impedir eventual acordo de delação premiada do ex-deputado Eduardo Cunha e do operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro, ambos também presos. Geddel foi detido em Salvador e depois transferido para Brasília.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS