Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Em Sapiranga

Audiência debate falta de segurança viária na RS-239 na terça-feira

Nos últimos dois meses, cinco pessoas morreram no trecho sapiranguense da rodovia

Susi Mello/GES-Especial
Uma faixa com o pedido de passarelas na RS-239 foi colocada no canteiro central da rodovia, em Sapiranga
Na próxima terça-feira (18), a partir das 9h30, acontece em Sapiranga uma audiência pública para debater a segurança de pedestres na RS-239. Nos últimos dois meses, cinco pessoas morreram no trecho sapiranguense. O encontro aberto à comunidade será no Auditório Jacobina Maurer, no prédio da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto. Em debate estarão a construção de passarelas, a instalação de controlador de velocidade e a iluminação nos canteiros centrais.

"Temos que buscar soluções urgentes para a segurança na 239, pois Sapiranga não pode mais conviver com mortes e o risco à vida das pessoas que atravessam diariamente a rodovia", destaca a prefeita Corinha Molling. Segundo a chefe do Executivo, nos últimos anos o trecho não teve nenhum investimento na área de segurança, sendo que os pardais foram desinstalados.

Atropelamentos

Na última quarta (12) e quinta-feira (13) duas pessoas morreram atropeladas ao tentar atravessar a pista da RS-239. Os casos aconteceram em Sapiranga e em Novo Hamburgo. No caso de Novo Hamburgo, um homem foi atingido por uma van nas proximidades do Ok Center. Já no caso de Sapiranga, uma idosa de 82 anos foi atingida por um veículo de passeio na rodovia, no sentido Sapiranga-Campo Bom.

Os dois casos aconteceram na mesma semana em que a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) afirmou que não tem verba para a construção de passarelas na rodovia, considerada uma das mais perigosas do Estado. 


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS