Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Julho Amarelo

Prevenção é essencial para o combate às hepatites virais

Nesta sexta-feira, Unidade Móvel de Saúde estará na Praça do Imigrante para fazer testes rápidos

Karina Moraes/PMNH
Testes são feitos a partir da coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo

Estima-se que 325 milhões de pessoas em todo o mundo convivam com hepatites virais crônicas dos tipos B e C, segundo dados recém-divulgados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Consideradas um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, as hepatites virais são doenças silenciosas, que podem demorar anos para provocar complicações de saúde, mas que, se não tratadas rapidamente, podem trazer consequências graves, como o câncer. Para conscientizar a população mundial sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce, a OMS instituiu a data de 28 de julho como o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. No Brasil, o Ministério da Saúde promove a campanha Julho Amarelo, ao longo do mês.

A hepatite é uma inflamação do fígado, órgão vital do corpo humano, geralmente causada por vírus, mas que também pode ser provocada pelo abuso de álcool e outras substâncias, além de outros problemas de saúde. Embora nem sempre esteja presente, um dos sinais mais aparentes da destruição das células hepáticas é a icterícia, gerando uma coloração amarelada da pele. Os tipos mais comuns de hepatites virais são as A, B e C, sendo que a última é a mais grave: cerca de 75% das mortes por hepatite no Brasil estão associadas à infecção por este vírus, segundo o Boletim Epidemiológico Hepatites Virais de 2016.

O maior desafio em relação ao combate às hepatites virais, principalmente nos casos crônicos causados pelos vírus B e C, é que o infectado pode passar anos sem apresentar qualquer sintoma e, por isso, não recebe o devido acompanhamento médico.

A transmissão da hepatite A se dá por meio de água e alimentos contaminados. Os vírus das hepatites B e C, por sua vez, são transmitidos através de contato com sangue ou agulhas contaminadas, além de relação sexual desprotegida ou, ainda, durante a gestação (da mãe para o bebê). Para os tipos A e B, o Sistema Único de Saúde disponibiliza dois tipos de vacinas: uma direcionada para crianças com idades entre um e dois anos e outra para pessoas com até 49 anos. Já para o tipo C, que não possui imunização, há um teste rápido que identifica a doença e pode ser feito em qualquer posto de saúde.

Teste rápido em Novo Hamburgo

Uma unidade móvel da Secretaria Municipal de Saúde estará na Praça do Imigrante, no Centro de Novo Hamburgo, nesta sexta-feira, das 9 às 16 horas, para fazer testes rápidos gratuitos de detecção das doenças causadas pelo vírus B (HBV) e pelo vírus C (HCV).

Os testes são feitos a partir da coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo e o resultado sai em poucos minutos.

Normalmente, o método de diagnóstico quase instantâneo vem sendo aplicado nas segundas-feiras, às 10h30, nas terças ao meio-dia e nas sextas-feiras às 8 horas no Serviço de Atendimento Especializado (SAE). Recomenda-se que o paciente chegue 15 minutos antes do horário na unidade. O posto do SAE fica na Rua General Osório, 868, em Hamburgo Velho. Não é necessário estar em jejum para fazer a testagem e é preciso apresentar documento com foto e o cartão do SUS na recepção.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS