Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Tecnologia
Parece Black Mirror

App Replika cria um fantasma seu na Internet

Interesse no aplicativo cresceu nos últimos dias, mas participação é apenas por convite

Reprodução
Cena do episódio Be Right Back, do cultuado seriado inglês Black Mirror, no qual uma jovem viúva descobre um programa de chat que emula e, eventualmente, até encarna seu falecido marido
Está em alta nos trending topics do Google no Brasil o app Replika. Nesta terça-feira (15/8) ele estava nos top 7 entre as buscas no portal. Tudo graças à curiosidade e até polêmica suscitada por este chatbot.

Chatbots são programas automatizados para conversação, como aqueles encontrados em centrais de autoatendimento. São, por assim dizer, máquinas de bate-papo. A diferença do Replika é que enquanto o usuário vai conversando com o bot, ele vai aprendendo seu linguajar, suas preferências e seu "jeitão" de postar. Eventualmente, ele vira uma espécie de versão virtual do dono, replicando frases que escutou e simulando sua forma de se comportar on-line. Pelo menos essa é a ideia.

Outro motivo para a curiosidade é que o Replika não está aberto na App Store nem na Google Play. Ele só fica disponível por convite. O usuário se inscreve no site do desenvolvedor, onde consta que ainda está em fase de testes, e aguarda um convite, se ele aparecer. É um mecanismo semelhante ao que popularizou, alguns anos atrás, o Orkut e o Gmail, nos quais inicialmente só se entrava por convite.

Vale estar atento para questões de segurança. Os fabricantes garantem que mantêm as informações dos usuários sigilosas, mas naturalmente é preciso pensar se vale a pena correr riscos. As reações na Internet já estão lembrando a associação com um episódio do seriado distópico de tevê Black Mirror, no qual uma viúva "ressuscitava" o marido através de um serviço da Internet que havia espelhado sua personalidade.

Uma das criadoras do Replika disse que trabalhava com chatbots e criou o Replika depois que um amigo morreu. Ela disse que pediu para vários amigos postarem conversas e postagens dele, e então percebeu que poderia ser interessante tentar criar um app capaz de absorver postagens e emular um usuário.


Tecnologia

por André Moraes
andre.moraes@gruposinos.com.br

André Moraes é editor de Tecnologia do Jornal NH. Sua experiência profissional inclui o jornalismo de divulgação científica, publicações técnicas e reportagem de tecnologia.

PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS