Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Economia

Com indústria e serviços, região tem saldo positivo de vagas de emprego

Setor de comércio não foi bem, mas no geral, o saldo foi positivo

Seguindo a tendência do Estado e do País, a região continua a retomada do emprego. De janeiro a junho deste ano, entre contratações de demissões, as 44 cidades da área de abrangência do Jornal NH tiveram saldo positivo de 2.316 vagas. Durante todo o ano passado, por exemplo, o saldo foi negativo na região, com menos 3.242 empregos. Indústria de transformação e serviços são os setores que contribuíram decisivamente para a reversão do cenário (confira o desempenho por setor no quadro abaixo). Na contramão está o comércio, que encerrou os seis primeiros meses do ano com 1.220 vagas a menos. Na indústria, o primeiro semestre registrou saldo positivo de 2.230 empregos na área. “No nosso dia a dia, pelas entradas, o calçado, a metalúrgica e metalmecânica voltaram a contratar. E esse mês de agosto abrimos muito bem, com bastante vagas. O comércio é que tem um número bem negativo”, sublinha a coordenadora da Agência Municipal de Emprego (AME) de Novo Hamburgo, Fátima Fraga.

A recuperação é resultado de uma série de fatores, como explica a economista e professora do curso de Administração da Universidade Feevale, Kátia Isse. “O Brasil está saindo da maior de suas recessões dos últimos anos. Na terceira semana de agosto já vamos ver muitas vagas e a diminuição no número de desemprego. Isso se deve a diversas medidas do governo federal, como o aplicativo do Sine, a redução da taxa de juros, a estabilidade da meta de inflação e até pela reforma trabalhista, que irá flexibilizar formas de contratação”, afirma.

Quem se beneficiou com essa mudança no quadro de empregos foi a jovem de Novo Hamburgo Keila Klenkauf, de 17 anos, que está trabalhando em período de experiência no ramo de captação de clientes. “Eu estava desde outubro do ano passado procurando emprego. Já estava ansiosa para começar a trabalhar e não estava conseguindo. Agora arrumei essa vaga e as coisas estão melhores.”

Jornal NH/Jornal NH/Reprodução
Infográfico empregos

Região já teve desempenho melhor

Ainda que os números gerais do primeiro semestre tenham se mostrado positivos na região, o saldo foi menor se comparado com os quatro primeiros meses do ano. O excedente na região era de 5,2 mil vagas no primeiro quadrimestre do ano, confrontando com as atuais 2,3 mil de vagas. Na maioria dos casos, foi a indústria de transformação que acabou originando a perda de empregos. “A indústria teve que tentar reduzir o seu custo. Aí se aumenta a carga de horas das pessoas, com uma mesma produção sendo realizada com a menor quantidade de trabalhadores”, esclarece Kátia.

MELHOR SALDO | São Leopoldo

São Leopoldo foi a cidade com o melhor saldo no primeiro semestre na região, ficando com uma taxa positiva de 871 empregos. O setor de serviços teve o desempenho que mais chamou a atenção, com saldo de 747 vagas. “Este aumento significativo de contratações se dá fundamentalmente pela percepção de melhora de expectativas do cenário econômico. Importante lembrar, igualmente, que São Leopoldo também é um dos municípios onde há maior registro de microempreendedores individuais (MEIs)”, ressalta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico da cidade, Olimar Queiroz. “Temos a expectativa de que haja uma continuidade deste processo de crescimento”, diz o secretário.

PIOR SALDO | Tramandaí

Na outra ponta, Tramandaí é a cidade da região com o pior saldo, com menos 833 vagas. Entre janeiro e junho desse ano, apenas a administração pública teve saldo positivo, com um emprego. Todos os demais setores apresentaram déficit. “Tramandaí tem sua economia principalmente baseada no setor de serviços. Este, por sua vez, aqui tem seu desempenho diretamente atrelado à economia da região, com o movimento de turistas e veranistas que realizam uma transferência de capital. Isso parte do que está acontecendo com o conjunto geral da situação econômica do Brasil, em um quadro de recessão, desemprego e deflação. Assim, os primeiros gastos a serem otimizados pelas famílias são com turismo e/ou férias no litoral”, destaca o chefe de gabinete da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento, Humberto de Oliveira.

Novo Hamburgo

Integrando os municípios que conquistaram somas favoráveis na comparação entre emprego e desemprego, o saldo de Novo Hamburgo também foi positivo. Na cidade, o excedente foi de 487 empregos entre janeiro e junho. Entre os segmentos, o que apresentou o melhor quadro e acompanhou as tendências macro foi a área de indústria de transformação, com 589 empregos de saldo positivo. “Podemos dizer que isto é um fator positivo, porque acreditamos que a confiança dos empresários tem se solidificado. Eles estão apostando no futuro, porque veem que existe possibilidade de expansão”, opina o diretor do Trabalho da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Amilcar Jair Schmidt. Sobre o comércio, que recebeu o pior diagnóstico a partir das informações do Caged, com 345 empregos de saldo negativo, a expectativa é de que os números melhorem daqui para a frente. “Como a indústria está gerando empregos, o poder de compra das pessoas aumenta e o setor de comércios novamente recebe o giro. É uma consequência”, conclui o diretor Schmidt.

Realidade semelhante no RS e no País

Outros dados atuais divulgados pelo Caged fazem referência ao mês de julho, com recortes estaduais e nacional. O Rio Grande do Sul obteve resultados superiores em comparação com junho. No sexto mês do ano, o Estado era o último posicionado no ranking nacional, com o pior saldo geral, de 9.513 empregos negativos. Três posições foram recuperadas em julho, ficando em 24º lugar, com a diferença entre admissões e demissões de menos 1.149 vagas. No âmbito do País, o crescimento no número de empregos foi constatado pelo quarto mês consecutivo. Foram 35,9 mil vagas criadas em julho, resultado de 1.167.770 admissões e 1.131.870 desligamentos. Assim como na região, o principal responsável pelo excedente foi o setor de indústria de transformação: 12.594 vagas criadas no último mês. 

SALDO DO EMPREGO FORMAL POR MUNICÍPIO DE JANEIRO A JUNHO DE 2017

Alto Feliz 43

Araricá 73

Bom Princípio 33

Brochier -26

Campo Bom -45

Canela -162

Capela de Santana -130

Dois Irmãos -59

Estância Velha 524

Feliz -47

Gramado -523

Harmonia 35

Igrejinha 522

Imbé -392

Ivoti 25

Lindolfo Collor -65

Linha Nova 0

Montenegro 157

Morro Reuter 55

Nova Hartz -110

Nova Petrópolis 82

Novo Hamburgo 487

Osório -218

Pareci Novo -19

Parobé 246

Picada Café -112

Portão 176

Presidente Lucena 89

Riozinho 26

Rolante 332

Salvador do Sul 77

Santa Maria do Herval -152

Santo Antônio da Patrulha 290

São Francisco de Paula 104

São José do Hortêncio -11

São Leopoldo 871

São Sebastião do Caí 42

São Vendelino 3

Sapiranga 822

Taquara 381

Tramandaí -833

Três Coroas -309

Tupandi 39

Vale Real -5

Saldo total na região: 2316


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS