Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Mãe e bebê

Brasil supera China e Estados Unidos em índice de amamentação da Unicef

Índice de 39% de mulheres que amamentam até os seis meses de vida do bebê ainda é baixo, já que OMS aponta de 90% a 100% como ideal

PixaBay/Divulgação
No Brasil, apenas 26% das crianças são amamentadas até os dois anos

O leite materno é o único alimento oferecido ao bebê até os seis meses de vida por 39% das mulheres brasileiras, de acordo com o índice mais recente do Global Breastfeeding Scorecard do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Esse número coloca o Brasil à frente de outros países, como Estados Unidos (24%) e China (21%). No entanto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) o considera baixo, já que o índice ideal seria de 90% a 100%.

Outro dado que chama a atenção, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, diz respeito à recomendação da amamentação prolongada, realizada até os dois anos ou mais. No Brasil, apenas 26% das crianças são privilegiadas com a prática.

A amamentação traz benefícios cognitivos e de saúde para bebês e suas mães. É especialmente necessário durante os primeiros seis meses de vida, ajudando a prevenir a diarreia e a pneumonia, duas principais causas de morte em lactentes. Bebês que mamam no peito apresentam melhor crescimento e desenvolvimento ao longo da vida, além de ajudar na prevenção de defeitos na oclusão dos dentes e problemas na fala. Já as mães que amamentam têm um risco reduzido de câncer de ovário e mama, duas principais causas de morte entre as mulheres. 

Agosto Dourado

Neste ano, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou a campanha Agosto Dourado, de estímulo ao aleitamento materno. Desde o início do mês, ocorrem em todo o País ações de sensibilização de profissionais e da população em geral para a importância do ato de amamentar, buscando o apoio e o estímulo a esse gesto. Além disso, a SBP também quer apoio à mudança na legislação para que seja ampliado o período de licença-maternidade para seis meses, o que possibilitaria a mulher praticar o aleitamento exclusivo de seu filho.

Curso na Feevale

No dia 28 de outubro, a Universidade Feevale realizará o curso de qualificação Manejo e promoção do aleitamento materno, no câmpus II da instituição (RS-239, 2.755, Novo Hamburgo). A capacitação receberá o ministrante Leandro Meirelles Nunes, médico pediatra e neonatologista, doutor em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e membro do Comitê de Aleitamento Materno da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul. As inscrições vão até dois dias antes do início das atividades, e podem ser feitas pelo site www.feevale.br/cursoseeventos.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS