Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Motores
Especial

S10 a Diesel ou flex?

Com o lançamento da configuração flex automática, colocamos os valores de aquisição e dados de consumo na ponta do lápis para ajudar você a tomar a decisão


Diesel ou flex? A dúvida assola muitos compradores de picape na hora de fechar negócio. Para piorar – quer dizer, melhorar – a Chevrolet lançou em maio passado sua primeira opção flex 2.5 de 206 cv com câmbio automático, equipamento antes disponível apenas associado ao propulsor 2.8 turbodiesel de 200 cv.


Se na cavalaria os números são quase idênticos, mas levemente em favor do motor flex (206 cv contra 200 cv), quando o assunto é o torque a situação se inverte e o diesel leva vantagem: 51 kgfm de torque contra 27,3 kgfm. A flex tem ótimas acelerações e retomadas, mas quem precisa puxar trailers, por exemplo, deve optar pelo diesel. Outras vantagens da versão diesel são a maior autonomia e a menor depreciação na hora da revenda.

Os preços das versões automáticas flex começam em R$ 107,99 mil (LT 4x2) e vão até R$ 130,99 mil (LTZ 4x4). Já as configurações diesel começam em R$ 130,69 mil (LS 4x4) e vão até R$ 181,59 mil (High Country 4x4). No pacote equivalente em termos de equipamentos, a LT 4x4 flex custa R$ 116,99 mil, R$ 30 mil a menos que a LT 4x4 diesel automática. Na configuração LTZ 4x4 com câmbio automático, a diferença é maior: a Flex custa R$ 130,99 mil, um total de R$ 41 mil a menos que a diesel (R$ 171,99 mil). A GM diz que os R$ 41 mil a mais cobrados pelo motor a diesel ‘‘devem-se às tecnologias utilizadas’’, pois não há diferença de impostos sobre os propulsores.

O que ajuda a definir a compra é o total de quilômetros que o comprador roda por mês. Com a gasolina acima dos 4 reais o litro e o diesel a R$ 2,80, é preciso colocar na ponta do lápis. Segundo o Conpet/Inmetro, a nova configuração flex é capaz de fazer, com gasolina, 9,4 km/l na estrada e 7,9 km/l na cidade. Na diesel, a economia é maior: 8,4 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada.


Simulações

Tendo esses números como base, simulação mostra que quem roda mil km por mês em estradas vai gastar R$ 264,15 na picape diesel e 425 reais na flex. Descontando os 205 reais de juros obtidos na poupança, o gasto mensal é de 220 reais, abaixo dos R$ 264,15 do gasto com diesel. Ou seja: quem roda até essa quilometragem por mês pode optar pela flex. Mas a partir daí as vantagens são da diesel: quem anda 2 mil km por mês vai desembolsar R$ 528,30 reais na diesel e R$ 851,06 na flex. Na simulação de 3 mil km mês, a diesel gasta R$ 792,45 e, a flex, R$ 1.276,59.


Os gastos com diesel, no caso da S10, são 38% menores que os com gasolina. Mas dependendo do resultado, os 205 reais mensais de juros com a poupança que podem ser obtidos com os R$ 41 mil economizados no valor da compra da versão flex ajudam a amortizar ou até anular a conta mais salgada com a gasolina.



Valor do seguro total

O valor do seguro total é outro ponto a ser observado. Historicamente o prêmio das picapes a diesel sempre foi mais alto, mas ultimamente as flex têm se aproximado bastante. Confira a simulação feita para um morador de Novo Hamburgo na faixa dos 40 anos (cotação válida para um seguro novo, pois quem tem classe máxima 10 tem 40% de desconto):

Diesel: R$ 5.557,41

Flex: R$ 4.848,28


Na diesel, 200 cv

Sob o capô, o turbodiesel 2.8 de quatro cilindros gera 200 cv e 51 kgfm de torque. É força mais do que suficiente para movimentar a picape. Outra vantagem é a boa autonomia: com um tanque de 76 l dá para rodar quase 800 km. O câmbio automático de seis marchas tem as opções 4x4 e 4x4 reduzida. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 10,3 s. Versão pesa 2.042 kg, 108 kg a mais que a flex (1.934 kg).

Na Flex, 206 cv

O 2.5 Ecotec Cidi com injeção direta tem apenas quatro cilindros, mas desenvolve a força de um 5 cilindros, com a vantagem do reduzido nível de ruídos. Com álcool, são 206 cv de potência que chegam aos 6.000 rpm e 27,3 kgfm de torque disponíveis bem antes, a 4.400 rpm. Com gasolina, os números são de 197 cv e 26,3 kgfm, respectivamente. Resultado: bastante agilidade para um veículo de 1.934 kg. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 9,5 s.


Tecnologia CPA reduz vibrações

Na linha 2018, as motorizações a diesel associadas ao câmbio automático passam a vir equipadas com a tecnologia CPA (Centrifugal Pendulum Absorber), que ajuda a reduzir os níveis de ruído e de vibração da picape a patamares similares aos de automóveis a diesel de luxo. A novidade foi apresentada no último dia 31 durante a Expointer.

Além disso, otimiza o acoplamento da transmissão em rotações mais baixas, proporcionando a sensação de melhor aceleração, retomada de velocidade e menor consumo de combustível. Isto acontece pelo fato de o veículo responder mais prontamente aos comandos do pedal do acelerador. Além de funcionar como um filtro de vibrações, o CPA possibilita o acoplamento antecipado da transmissão, melhorando também a eficiência energética do veículo em até 13%. Para isso foi desenvolvida uma nova calibração do motor 2.8 turbodiesel e da transmissão de seis marchas (manual ou automática), além da adoção de um sistema de gerenciamento elétrico mais moderno, soluções introduzidas recentemente na Chevrolet Colorado norte-americana.


Vendas triplicadas

 Gerente de Marketing de Produto da GM Mercosul, Rogério Sasaki (foto) reforça que justamente para atender a um perfil de consumidor mais urbano é que a montadora lançou, em maio, a nova versão flex automática. ‘‘São pessoas que não precisam ter um veículo a diesel, mas querem a robustez de uma picape com o conforto da transmissão automática’’, salienta. Desde então, as vendas da S10 flex triplicaram, atingindo 1.191 unidades no acumulado de janeiro a agosto deste ano. Já as versões a diesel totalizam 1.606 unidades no mesmo período. As versões flex hoje representam 35% do mercado de picapes no Brasil e a S10 flex abocanha 64% deste segmento. Durante a Expointer, a GM vendeu 201 veículos, 28% a mais que em 2016. Deste total, 42% foram S10.


Equipamentos

Em termos de equipamentos, as versões LTZ (Luxo) diesel e flex são equivalentes, trazendo, entre outros itens, direção elétrica progressiva inteligente, alertas de colisão frontal e de saída de faixa, assistente de rampa, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis e lanternas com LED, banco do motorista com ajustes elétricos, telemática avançada OnStar Exclusive e multimídia MyLink com Android Auto e Apple Car Play.

A possibilidade de partida remota do motor pela chave é novidade, uma herança dos modelos mais sofisticados. A tecnologia permite que a cabine seja climatizada antes dos ocupantes entrarem, muito útil em dias quentes ou frios.



OS PREÇOS


Versões diesel cabine dupla:

LS manual:
R$ 130,69 mil

LT manual:
R$ 146,69 mil

LT automática:
R$ 153,99 mil

LTZ automática:
R$ 171,99 mil

High Country automática:
R$ 181,59 mil

Fonte: Chevrolet


OS PREÇOS

Versões flex cabine dupla:

LT 4x2:
R$ 107,99 mil

LT 4x4:
R$ 116,99 mil

LTZ 4x2:
R$ 122,99 mil

LTZ 4x4:
R$ 130,99 mil

Fonte: Chevrolet

Versões flex cabine dupla:


Motores

por Adair Santos
abcmotores@gruposinos.com.br

Gasolina na veia - O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet sempre alardeava que nas suas veias não corria hemoglobina, e sim gasolina. Uma anomalia genética que atinge milhões de pessoas no mundo e, pelo jeito, não tem cura. Jornalista há 15 anos, Adair Santos é um desses anormais que literalmente respiram tudo que diz respeito a veículos. Editor do caderno Motores, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, é apaixonado por carros, motos e aviões - ou seja, tudo o que tem motor, exceto a maquininha de obturação do dentista. Motores invade a rede - Os carros recém-lançados, aqueles protótipos bizarros que talvez nunca cheguem às ruas, dicas úteis sobre veículos e testes exclusivos. Além da versão impressa, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, agora as notícias sobre veículos contam com este importantíssimo espaço virtual para serem divulgadas. Não deixe de participar mandando sugestões e, quem sabe, até um flagrante fotográfico de um veículo que ainda está em fase de testes e futuramente vai ser fabricado no Brasil. Eu e minha máquina - Se você tem orgulho da sua máquina, seja ela um carro antigo ou novo, motocicleta, um triciclo ou até bicicleta, envie sua foto. Junto, informe seu nome completo e idade, cidade onde reside, telefone para contato, marca, modelo, ano de fabricação do veículo e desde quando tem ele na garagem. Mas atenção: não vale mandar só a foto do carro ou moto, você também tem que aparecer na imagem. Então, mãos à obra: passe uma cera na lataria, um gel no cabelo e faça o registro fotográfico.

PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS