Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Renato Molling

Um imposto a menos no Brasil

Leia artigo de Renato Molling

Renato Molling (PP)Renato Molling é deputado federal

deputadorenatomolling@gmail.com

A reforma trabalhista é uma das mais importantes dos últimos anos. A atualização na Consolidação das Leis do Trabalho era necessária e emergencial, visto que, com mais opções de contratações, o mercado de trabalho voltará a reagir. É importante salientar que todos os direitos dos trabalhadores foram mantidos e aperfeiçoados.

O desenvolvimento de um país é oriundo do trabalho. Temos um potencial enorme, tanto na agricultura, indústria, turismo e serviços. E exatamente por isso, por termos uma mão de obra de qualidade e acreditar no nosso potencial, que a reforma trabalhista foi aprovada.

A verdadeira cidadania se dá quando a pessoa se sente útil, podendo receber o seu salário pelo trabalho. As relações laborais foram modernizadas, permitindo uma maior flexibilidade e maior segurança para todos, tanto para o empregador como para os empregados.

O trabalhador precisa sentir-se bem no ambiente de trabalho, e o maior patrimônio da empresa é o seu colaborador. As relações precisam ser de confiança e respeito. Jogar os trabalhadores contra o patrão ou vice-versa é golpe baixo.

Uma das conquistas do trabalhador, na reforma trabalhista, foi a retirada obrigatória do imposto sindical. Agora, só será descontado um dia de trabalho se o empregado quiser e autorizar. Este imposto a menos significa mais dinheiro para o trabalhador. No Brasil, já são mais de 16 mil sindicatos, quando em países desenvolvidos, como os Estados Unidos e Alemanha, esse número não passa de 100 sindicatos.

Acredito, sinceramente, que as relações do empregador e funcionário vão melhorar muito. O Brasil está dando um passo importante, melhorando a competitividade para enfrentar o mundo. Só o trabalho constrói e gera cidadania.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS