Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Gilson Luis da Cunha

Shatner, imortal!

Diário de bordo de um nerd no planeta Terra (DATA ESTELAR 10092017)


Gilson Luis da Cunha - Blog Diário de Bordo de um nerd no planeta terra

Gilson Luis da Cunha é doutor em Genética e Biologia Molecular pela Ufrgs, Old School Nerd, fã incondicional de livros filmes, séries e quadrinhos de ficção científica, fantasia e aventura

www.wattpad.com/search/Gilson%20Luis%20da%20cunha

Ele é ator, produtor, escritor. Foi dublê de cantor nos anos 70. É, provavelmente, o único ator na história a protagonizar um drama de suspense totalmente falado em esperanto. Viveu, durante quarenta anos, o capitão da USS Enterprise. Também foi TJ Hooker, o policial de Carro Comando. Sua veia cômica o levou a desconstruir a imagem do eterno capitão Kirk, em papéis como o do insano advogado Danny Crane na série Boston Legal, ou, até, de uma versão maluca dele mesmo, The Artist Former Know As Shatner, na comédia geek Free Enterprise.


O que mais faltaria no currículo dele? Um Oscar? Claro que não! Óscares são para atores sofisticados, alguns até minimalistas. O Oscar não foi feito para a deliciosa e visceral canastrice do astro de Jornada nas Estrelas, que teve em episódios de Além da Imaginação sua entrada para o mundo da fantasia e da ficção científica na TV. Em anos recentes, ele entrou de cabeça no mundo dos documentários, reunindo seus colegas de outras séries da franquia Star Trek no documentário Os Capitães, revelando os bastidores do conturbado primeiro ano da série Jornada nas Estrelas, a Nova Geração no documentário Chaos On The Bridge, também, entrevistando ninguém menos que Stephen Hawking, no documentário TheTruth is In The Stars (2017).

Não bastasse isso, ele ainda é o protagonista involuntário de uma série de romances de bizarro fiction, do autor americano Jeff Burk em sua série "Shatnerverso", onde recria o universo à imagem e semelhança do astro. No romance Shatnerquake (algo como Terreshater ou Shatermoto), Burk começa o livro com uma dedicatória:

"Caro Senhor William Shatner, esse trabalho é um tributo a você. Não uma tentativa de zombar de você ou ridicularizá-lo. Você é a quintessência do homem pós-moderno. Você fez uma carreira interpretando uma caricatura de você mesmo. Sua vida inteira se tornou uma elaborada performance artística. Quem pode afirmar quando você está atuando ou quando está apenas sendo William Shatner? Eu não posso. Não há limite entre fantasia e realidade quando falamos de seu trabalho. Por isso, eu o saúdo. A vida real é muito chata. Mas, enquanto o resto de nós tenta encontrar alguma fuga do mundo normal e de nossos empregos estúpidos, você tomou um caminho diferente. Você recriou o mundo a sua própria imagem. Você é um talentoso ator, escritor, cantor e um maluco genial. Eu aposto que, quando você anda pelas ruas, pessoas e veículos saem da sua frente em honra a sua Shatnerística pessoa. Este mundo é seu. O resto de nós apenas vive nele. Assim, este livro é para você, senhor Shatner, um verdadeiro homem da renascença. Com amor, Jeff Burke. OS: Por favor, não me processe."

Ao que parece, Shatner entrou na brincadeira, pois os livros de Burk continuam a venda, ao menos, na loja Kindle da Amazon. Pois bem. O mundo é de Bill Shatner. Mas ainda faltava algo. Bem, agora não falta mais. Na última terça-feira, a Nasa anunciou o vencedor de um concurso destinado a escolher uma mensagem a ser enviada para a sonda Voyager, lançada há quatro décadas para explorar o sistema solar e que, agora, se encontra em espaço profundo, em uma jornada de milênios em direção às estrelas. A mensagem precisava ser positiva e com menos de 60 caracteres. E foi lida por ninguém menos que William Shatner: "Nós enviamos amizade através das estrelas. Vocês não estão sozinhos", dizia a mensagem, escrita pelo vencedor, Oliver Jenkins.

A Voyager (Não confundir com a nave homônima da Frota Estelar, de número de matrícula NCC-74656) deixou nosso sistema solar, se aventurando em espaço interestelar em agosto de 2012. Ela contém um disco de ouro anodizado, concebido por Carl Sagan e outros cientistas, contendo sons de nosso planeta e um mapa com a localização relativa de nosso sol, tomando como ponto de referência os pulsares (estrelas de nêutrons) mais próximos e um convite a quem por acaso a encontre, para que visite nosso mundo. E, agora, recebeu uma mensagem, na voz do capitão Kirk em pessoa. William Shatner, embaixador da Terra! Yeah! Durma com essa, Han Solo!

Só espero que os borgs não sejam os primeiros a ouvi-la. E aproveito para lembrar que, na última sexta-feira, Jornada nas Estrelas, a série clássica, completou 51 anos de existência. Como se não bastasse, ontem, minha esposa, a mulher que deu sentido à minha existência, também fez aniversário. Setembro é maravilhoso! Vida longa e próspera e que a força esteja com vocês. Até domingo que vem.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS