Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Osvino Toillier

O deboche pela vida

Leia artigo de Osvino Toillier

Osvino ToillierOsvino Toillier é mestre em Educação e vice-presidente do Sinepe/RS


O que vale a vida no contexto de algumas cidades brasileiras atualmente? O título e a pergunta são decorrentes da realidade trágica vivida pelos policiais no Estado do Rio: 100 policiais assassinados apenas neste ano! A sociedade é hipócrita: exige atitude dos policiais em defesa das pessoas, mesmo com risco da própria integridade, mas com armamento defasado e coletes vencidos. Pode isto?

Que sociedade somos nós, que nos escondemos em nossas fortalezas e exigimos proteção dos policiais sem lhes dar a mínima condição de assegurar proteção para sua atividade profissional! E aí vem o perverso discurso oficial que se esconde atrás da estatística, tentando convencer os incautos cidadãos de que o índice da criminalidade está baixando, que o roubo de cargas está sendo combatido, sem se importar com a dor de cada família que chora a perda brutal de um ente querido, abatido covardemente pelos bandidos, em emboscadas, na frente de casa, quando não diante da família!

Guerra? Sim, guerra! Mas guerra suja, promovida por bandidos, traficantes, que cresceram por conta da omissão do Estado e descaso das autoridades. Já não há mais condições de acabar com o narcotráfico, não há mais possibilidade de fazer limpa geral. Perdemos a guerra contra a violência! O que nos resta é demarcar território, combater os poderosos chefões do tráfico e agir com rigor para proteger nossos valorosos agentes da lei, dar-lhes condições materiais para se protegerem e apoio moral para serem valorizados em sua perigosa missão.

A sociedade espera atitude firme e corajosa em apoio às famílias das vítimas e especialmente em memória dos que tombaram. É o mínimo que se deve fazer para confortar as famílias, que perderam seus amados, barbaramente assassinados por quem não tem um mínimo respeito à vida.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS