Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Suzana Kunz

Entre flores

Leia artigo de Suzana Kunz

Suzana KunzSuzana Kunz é publicitária, especialista em Marketing e Psicologia

suzana@imagempropaganda.com.br


Minha sábia mãe já dizia: “Sagt durch die Blumen”, que significa literalmente “diga através das flores”. A expressão alemã é uma espécie de metáfora que convida ser gentil na forma como se comunica. Percebo que muitos dos problemas que enfrento são oriundos da forma com que me comunico ou como as pessoas se comunicam comigo. Esta palavrinha “como” ganha uma importância fundamental no processo de entendimento já que, quase sempre, qualquer desconforto não diz respeito às palavras proferidas e sim de como elas vêm carregadas de emoções.

Muitas vezes, as palavras são como setas impregnadas de emoções das mais variadas. A mesma fala, dependendo de como é dita, muda radicalmente o sentido. Uma expressão como “vai à merda” pode ter um sentido carinhoso, enquanto uma expressão como “te adoro” pode vir carregada de ironia, dependendo da situação e de como é proferida. A regra atribui o mísero percentual de 10% da eficácia em comunicação ao texto e seu significado representacional, enquanto 30% está relacionado ao tom de voz e à forma de interpretação. Outros 60% relacionam-se à expressão dos sentimentos e emoções pelo rosto e pela linguagem corporal.

Conteúdos emocionais impregnam palavras e frases fazendo toda diferença no significado. Veja que a maioria das pessoas percebe o presidente norte-americano como arrogante, não só pelo uso das palavras, mas por toda a forma como expressa o que diz. A forma como se diz, em cadeia, provoca reações no interlocutor ligadas à mesma frequência. Assim, raiva tende a produzir raiva, medo mais medo. Da minha parte, tenho investido em desviar-me da teia provocada pelas emoções alteradas contidas nas falas alheias, o que não é tarefa das mais fáceis.

Acredito que o estado Torre de Babel que estamos vivendo pode ser amenizado com um bocado de gentileza permeando nossa franqueza. Por um mundo humanamente sustentável.


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS