Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Fibromialgia

Entenda doença que levou Lady Gaga a cancelar show no Rock in Rio

Problema é caractetizado por dor crônica difusa, em todo o corpo, presente por mais de três meses

Lady Gaga - Site oficial/Divulgação
Lady Gaga já havia revelado recentemente o diagnóstico de fibromialgia
Fortes dores no corpo levaram a cantora Lady Gaga a cancelar o show que faria no Rock in Rio, no Rio de Janeiro, previsto para a última sexta-feira. “Eu faria qualquer coisa por vocês, mas eu tenho que cuidar do meu corpo agora. Peço pela bondade e compreensão de vocês, e prometo que vou voltar e cantar para vocês em breve”, escreveu Gaga em postagem no Instagram direcionada aos fãs brasileiros. Recentemente, ela já havia revelado que sofre de fibromialgia, doença caracterizada por dor crônica difusa, em todo o corpo, presente por mais de três meses. “Há uma desregulação na percepção do estímulo doloroso. Não é uma doença inventada ou psicossomática”, explica a reumatologista Carla Saldanha.

As causas não são ainda bem conhecidas, mas, além da dor, costuma provocar cansaço, alteração de memória, do humor e do sono. “Avaliamos de forma objetiva 18 pontos de dor e a simples pressão desses pontos é muito desconfortável para quem tem a doença”, descreve a médica. A depressão também ocorre com frequência em quem tem fibromialgia, o que torna imprescindível o tratamento em conjunto. “Imagina sentir dor em todo o corpo 24 horas do dia?! Isso afeta o humor, a vontade de fazer as coisas habituais, de se cuidar. É por isso que a depressão ocorre com frequência em quem tem fibromialgia e também atrapalha seu tratamento”, observa. Muitas medicações disponíveis para o tratamento são antidepressivas e usadas para modulação da dor no cérebro.



Exercício é importante

Carla ressalta que um dos fatores mais importantes para o controle da dor é o exercício físico, já que a doença não tem cura. “Muitas pessoas relutam, pois além de não terem o hábito, referem que fazer exercício dói. A receita é fazer alguma atividade de baixa intensidade, não tão longa no início e ir aumentando gradualmente”, diz a reumatologista. Ter ajuda de um profissional especializado também contribui. “O nosso corpo é muito sábio. Se fizer exercício e doer, essa atividade foi muita intensa para o momento que está passando. É só ajustar!”


PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS