Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Cris Manfro

Criança é criança

"Fiquei lembrando do privilégio de poder brincar. O riso era fácil e qualquer coisa divertia"
08/10/2017 06:00

Cris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar
acmanfro@terra.com.br

Criança deve poder ser criança. Tem criança com mais agenda que adulto. Com infinidades de “fazeres”. Aos três anos de idade já são colocadas no Mandarim, afinal, o mercado da China está aí e elas precisam estar preparadas. Cada vez são mais exigidas e cobradas, pois a competição com o filho do vizinho não é fácil. Não faz muito tempo ouvi que estamos deixando de criar crianças para criar cavalos de corrida. Como se o que somente interessasse fosse o pódio. Isso me deixou muito triste.

Fiquei lembrando do privilégio de quando criança poder brincar. O riso era fácil e qualquer coisa divertia. Uma caixa de papelão para fazer uma armadura, um pedaço de giz, ou uma pedra e uma rua inteira para desenhar. Uma lomba qualquer para escorregar, uma rua para jogar bola ou brincar de roda ao entardecer... perdemos isso. O maior medo que podíamos ter era do “homem do saco” que roubava crianças. Agora quantos medos. Medo da performance, de não corresponder ao esperado, de não ser bom o bastante, da violência, de tantos encargos e esse medo atinge pais e filhos.

Nossas crianças nos cobram essas perdas mesmo sem elas saberem e terem tido a vivência de como era a vida antigamente de outras maneiras. Se os adultos fizeram com que as crianças perdessem as coisas simples, agora os desejos delas são ilimitados. Se antes o que era dado pra nós vinha bem, agora para elas muitas vezes perde o sentido em minutos. Já têm outros quereres. Quanto mais os desejos ficam rebuscados, mais efêmeros se tornam.
Tem criança se comportando de modo mais adulto do que os pais. Invertendo papéis. Tendo que pôr limites nos mesmos, tendo que cuidar dos irmãos, porque os pais estão muito preocupados com a própria satisfação. Tendo que assumir precocemente tantos compromissos e expostos a uma escancarada erotização adulta, levando o ser humano à qualidade de produto.

Nada vai ser mais importante na vida de qualquer pessoa do que a presença de pais e cuidadores que deixem a criança ser criança. Que mostrem que a protegem, que a amam e a validam por ela ser quem é. Está cheio de mães e pais pela metade. Nada vai ser maior do que a oportunidade da criança poder brincar e rir junto com as pessoas que ela ama e por inteiro. Nada terá mais significado do que seu filho poder olhar por trás do ombro e ver você ali no seu papel, deixando ele ser simplesmente filho e criança. Pra sempre a alegria estará com você, se puder se conectar também com a criança que está aí dentro de você adulto e deixar vez ou outra que ela possa se manifestar para lembrar que a vida não pode ser somente compromisso e encargos. Adulto também precisa poder brincar.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS