Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Em Novo Hamburgo

Atendimento limitado e manifestação na DPPA marcam primeiro dia de greve da Civil

Com luzes apagadas e cartazes na entrada, a unidade só registrou casos graves
09/10/2017 15:05 09/10/2017 16:45

Adriana Lima/Adriana Lima/GES-Especial
Polícia Civil entrou em greve nesta segunda-feira (9)
No primeiro dia de greve da Polícia Civil, agentes de Novo Hamburgo interromperam parcialmente os trabalhos e fizeram uma manifestação em frente a Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA). Com luzes apagadas e cartazes na entrada, a unidade só registrou casos graves na manhã desta segunda-feira (9), como os relacionados a crimes contra a vida, e todos envolvendo violência doméstica (mulheres, crianças, idosos). “Estamos há praticamente dois anos com salários parcelados e esse mês não recebemos nada. Além disso, falta estrutura para prestarmos um melhor serviço à comunidade. O governo está deixando a sociedade à mercê da insegurança”, desabafa um policial civil de 38 anos, que preferiu não se identificar.

Segundo o titular da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Novo Hamburgo, delegado Tarcísio Kaltbach, a equipe hamburguense segue a decisão do sindicato da categoria e mantém parte do efetivo - pelo menos 30% - trabalhando. “As investigações dos crimes mais graves continuam”, destaca. Equipe da Delegacia de Homicídios do Município fazia diligências no período da manhã.

Adriana Lima/Adriana Lima/GES-Especial
Trabalhadores da área reclamam do parcelamento e atrasos nos salários
Até o início da tarde de hoje, nas três celas da unidade policial, havia 12 presos. Do lado de fora, outros três presos eram custodiados por uma equipe da Brigada Militar (BM).

Segundo o presidente do Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do Rio Grande do Sul - Ugeirm, Isaac Ortiz, a maioria dos policiais civis do Estado aderiu à paralisação. “O movimento foi construído após 22 meses de parcelamento dos salários, culminando com o não pagamento, além do desmonte da segurança. E ainda não houve diálogo, estamos esperando uma resposta da Casa Civil sobre as propostas que apresentamos”, informou, destacando que além da questão dos pagamentos, a classe reivindica o aumento do efetivo e promoções.

Ortiz ressalta ainda que está mantida uma assembleia na próxima quarta-feira para avaliar o movimento. A princípio, conforme ele, a greve deve ser mantida até o dia 17, quando o Piratini prevê os pagamentos. Por meio da assessoria de imprensa, o governo estadual informou que não irá se manifestar sobre a questão.

Registro online

Uma alternativa para o registro de crimes de menos gravidade disposição dos moradores do Rio Grande do Sul é a Delegacia Online RS. Pelo site da Delegacia Online é possível fazer a ocorrência de perda de documentos, acidente de trânsito sem feridos, furto, roubo, ofensa, ameaça, maus-tratos contra animais, perturbação da tranquilidade, localização de veículo roubado/furtado, dano ao patrimônio, dano causado por fenômeno da natureza, abigeato, desaparecimento/localização de pessoa desaparecida e violação de domicílio. O comunicante precisa responder alguns perguntas e informar dados pessoais.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS