Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Itália

É fácil se apaixonar por Veneza

Passeio pelas ruas e os canais de um dos lugares mais românticos do mundo é experiência inesquecível
15/10/2017 15:01 15/10/2017 17:18

Stephany Sander/Stephany Sander/Especial
Estacionamento de gôndolas e barcos

Stephany Sander
ssa_rad@gruposinos.com.br

A cidade símbolo do romantismo, que tem água no lugar das ruas, e se torna um labirinto a ser desbravado pelos turistas é praticamente um museu a céu aberto, com suas casas e construções históricas. A peculiaridade do lugar, construída sobre uma série de 118 ilhas, interligadas por 400 pontes, surgiu durante as invasões bárbaras, intensificadas nos séculos 5, quando habitantes de povoados do Vêneto eram forçados a fugir para qualquer lugar, inclusive para as pequenas ilhas. Com cada vez mais moradores, Veneza foi fundada no século 10. Graças a seu desenvolvimento cultural e arquitetônico, se transformou em local que transpira história. Romântico em um nível quase inimaginável, atrai a visita de multidões de turistas a cada ano. Chegar até Veneza pode parecer um desafio, já que o aeroporto da cidade está localizado a 12 quilômetros da cidade. As opções de transporte são um ferryboat, um ônibus turístico e trens que desembarcam na Stazione di Santa Lucia, às margens do Grande Canal.


Caminhe pela cidade flutuante
A melhor maneira de desbravar a cidade flutuante é caminhando, mesmo com o risco de se perder pelas ruelas, tão parecidas e estreitas. O charme de Veneza está na água, por onde circulam os famosos Vaporettos, opção de transporte para moradores e turistas, já que ônibus e carros não são permitidos por lá. As gôndolas, estão mais reservadas aos casais apaixonados, que são guiados pela cidade com os famosos “gondolieris”, sempre fardados com uma camisa listrada e um chapéu de aba reta.


Praça de San Marco
Considerada o coração e alma de Veneza, a Praça de San Marco é uma parada obrigatória. A grandiosidade da Basílica e o imponente conjunto arquitetônico situado ao seu redor fizeram com que não só a praça, mas toda região fosse listada como Patrimônio Mundial da Unesco em 1987. Os edifícios mais importantes da praça são a Basílica de São Marcos, o Palácio Ducal, o Museu Correr, e a Torre dell’Orologio, construído no século 15. Quando criado, ele oferecia informações importantes aos navios que partiam da Laguna de São Marcos em direção ao Oriente. O relógio indica as horas, os meses, as fases lunares e também os signos do zodíaco. As estátuas em bronze de dois homens, situadas na parte de cima da estrutura são conhecidas como “i mori di Venezia”. São elas que realizam o bater dos sinos do relógio.


Palacetes no Grande Canal
O Grande Canal concentra uma infinidade de palacetes construídos nos séculos 17 e 18. As construções contam em detalhes toda a história de luxos e extravagâncias da cidade, sendo uma das mais famosas o Palacio Ca'Rezzonico. O interior é adornado com pinturas em afrescos. Além disso, a construção possui salão de baile e espaços para grandes jantares. Para cruzar o Grande Canal, se utiliza a Ponte Rialto, a mais antiga das quatro passagens do local, que ainda abriga o Mercado Rialto, onde são vendidas frutas, flores, queijos e peixe fresco.


Sorte para o casal
A Ponte dos Suspiros chama a atenção pela beleza e pela lenda de dar sorte ao casal que se beijar embaixo dela durante um passeio de gôndola. Servindo de ligação entre salas de interrogatório e carceragem das prisões, porém, a passagem tem uma história um tanto quanto peculiar. Conta-se que, ao serem levados para as respectivas celas (ou para o local da sua execução), os presos soltavam um último suspiro ao olhar uma última vez para a paisagem de Veneza ao passar pela a ponte.


Estacionamentos de barcos
Assim como as gôndolas, os barcos, de vários tamanhos, são o transporte mais comum na cidade, e é comum observar os “estacionamentos” das embarcações pelas hastes de madeira cravadas na vertical, se sobressaindo pela água, que sinalizam os pontos para embarque e desembarque dos passageiros.

  • Água no lugar de ruas
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Estacionamento de gôndolas e barcos
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Basílica de San Marcos
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Grande Canal
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Stazione di Santa Lucia
    Foto: Stephany Sander/Especial


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS