Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Mitos e verdades

Os benefícios da carne suína na alimentação

Apesar de não ser a 'queridinha' por grande parte da população, especialista aponta os benefícios do alimento
04/10/2017 10:05 04/10/2017 10:10

Pixabay/Divulgação
Especialista diz que a carne suína não é rica em colesterol
A proteína animal tem significativa importância na alimentação humana, pois entre outras funções, realizam o transporte de oxigênio no sangue. "Entre outros benefícios, temos a atuação no sistema imunológico, fazendo parte da estrutura dos hormônios e participando da estrutural corporal dos seres humanos", afirma a professora do curso de Nutrição Thaliane Dias Mack.

Dentre as tradicionais carnes animais, a suína tem se destacado na alimentação. Segundo a docente, a carne de porco é rica em fósforo, potássio, riboflavina, niacina, vitamina B6 e vitamina B12 e tem ainda em sua composição ferro de alta biodisponibilidade. "Por exemplo, 85 gramas de lombo de suíno fornecem 22 gramas de proteína, cerca de três gramas de gordura total, uma grama de gorduras saturadas e 62 mg de colesterol e ao mesmo tempo proporciona uma excelente fonte (cerca de 20% do valor diário) de selênio, tiamina, niacina, vitamina B6, e fósforo e uma boa fonte (10% a 19% do valor diariamente) de riboflavina, zinco e de potássio. É uma carne com um valor nutricional relevante mesmo em pequenas quantidades".

Ao contrário do que a maioria acredita, a carne suína não possui maior índice de gordura comparada às outras. "Isso está relativamente ligado ao corte. Se escolhermos cortes com teores de gordura menor, então, de fato a carne suína terá um índice de gordura menor comparativamente a carne bovina e até a alguns cortes de aves, pois a fisiologia do suíno corrobora para tanto". A professora complementa que o suíno tem em sua composição maior quantidade de gordura extra-muscular, que pode ser retirada com facilidade do que de gordura intra-muscular, que não pode ser facilmente retirada, já que está entre as fibras da carne.

COLESTEROL 

Outro mito que Thaliane explica é que a carne suína não é rica em colesterol. Segundo estudos, depois da mudança na forma de produção do animal (tecnificação na produção e melhora nas rações), a carne suína tem se tornado uma aliada no tratamento para dislipidemias. A docente conclui afirmando que a restrição para o consumo de carne suína é a mesma para qualquer produto: certificar-se da procedência. "Veja se a carne tem selo de inspeção municipal, federal ou estadual. A carne suína deve ser rosada, firme ao toque; sua gordura é branca e bem firme. E claro, é importante entender se a pessoa não tem algum tipo de alergia ou sensibilidade ao produto".


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS