Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Opiniões divididas

Consumo de carne de cachorro na Coreia do Sul gera polêmica

Segundo as estimativas, os sul-coreanos consomem cerca de um milhão de cães a cada ano
27/12/2017 16:59 27/12/2017 17:13

Ser produtor de carne canina está com as horas contadas na Coreia do Sul. Diante de uma demanda cada vez mais baixa, o produtor Kim Young-Hwan aceitou fechar seu estabelecimento em troca de receber uma indenização da Humane Society International (HSI), associação com sede nos Estados Unidos.

É o segundo produtor em três anos que aceita esta proposta. Os montantes exatos são confidenciais, mas as transações ascendem a centenas de milhares de dólares, incluindo os custos de adoção.

Mas os chamados a proibir o consumo de carne de cachorro, que chegam em boa parte do exterior, chocam com reações comedidas, inclusive com acusações de hipocrisia ocidental.

Segundo as estimativas, os sul-coreanos consomem cerca de um milhão de cães a cada ano. É um prato delicado que se degusta no verão. A carne vermelha e gordurosa, sempre fervida por sua maciez, é considerada energética.

Mas a tradição está sendo perdida. Os cachorros são cada vez mais apreciados, mas como animais de estimação, e comer sua carne já é um tabu entre os jovens sul-coreanos.

Os defensores dos animais intensificaram seus esforços para proibir seu consumo. Com campanhas que provocam debates acalorados, muitos sul-coreanos denunciam um duplo padrão cultural.

Um debate que existe em outras sociedades asiáticas consumidoras de cachorros, como a China, onde o festival da carne canina de Yulin atrai uma multidão de pessoas, para desgosto dos críticos ocidentais.

Taiwan proibiu o consumo de carne de cachorro em abril. Alguns consideraram injusto querer salvar algumas espécies em virtude "de uma bonita lei em defesa dos animais".

A opinião está dividida na Coreia do Sul, como mostram as pesquisas.

Embora 70% dos sul-coreanos não comam carne de cachorro, apenas 40% exigem que seu consumo seja proibido. Segundo esta pesquisa recente, 65% estão a favor de que os cachorros sejam criados e sacrificados em condições melhores.

Não há nenhuma lei que regule a matança de cães na Coreia do Sul. Os produtores pedem ao governo que submeta o setor à mesma regulação que o gado, mas os defensores dos animais exigem simplesmente sua abolição.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS