Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Mistério

Polícia tailandesa recorre a DNA para achar dono de bilhete premiado

Um policial aposentado diz ter comprado o bilhete, mas não se lembra onde
28/12/2017 15:54 28/12/2017 16:10

A Polícia tailandesa recorreu à checagem de impressões digitais e de DNA para solucionar o caso midiático de um bilhete de loteria premiado, reivindicado por duas pessoas.

Tudo começou com a denúncia apresentada por Preesha Kraikruan, um professor de 50 anos que diz ter perdido seu bilhete de loteria premiado. Mas os 30 milhões de bahts (mais de R$ 3 milhões) já tinham sido entregues a Sharoon Wimonpar, um policial aposentado de 62 anos.

"Esperamos os resultados dos testes de DNA que permitirão verificar se a denúncia é admissível", explicou Krissana Sapdet, da Polícia de Kanshanaburi, uma região do oeste da Tailândia onde o bilhete foi vendido.

Segundo veículos locais, o policial aposentado diz ter comprado o bilhete, mas não se lembra onde.

A loteria, administrada pelo governo, é uma verdadeira instituição na Tailândia. É uma das únicas formas possíveis de jogo de azar neste país do sudeste asiático, onde cassinos e apostas são proibidos.

Há dois sorteios por mês e neste país, muito supersticioso, os números da sorte e aqueles relacionados com o falecido rei são muito cobiçados.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS