Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Previdência

Marun nega que governo vá condicionar empréstimo a apoio à reforma

Ministro disse que interpretação de sua frase é mentirosa
29/12/2017 12:19 29/12/2017 12:21

Marcelo Camargo/Agência Brasil
O deputado Carlos Marun também é relator da CPMI da JBS
O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou nesta sexta-feira (29) que o governo não vai condicionar a liberação de empréstimos pela Caixa Econômica Federal a governadores ao apoio à reforma da Previdência. Segundo ele, isso nunca foi dito e essa interpretação é mentirosa.

Marun desafiou acharem, em suas entrevistas anteriores, o trecho em que essa condicionante foi feita. Segundo ele, a questão se assemelha à prática nazista de repetir uma mentira até que ela seja tomada como verdade: "A entrevista está disponível. Mostrem lá onde eu falei. Separem naquela entrevista o trecho aonde eu digo que está condicionado ao apoio da reforma qualquer ação governamental. Não vão achar. É igual ao nazismo, uma mentira que é repetida a exaustão acaba se transformando em verdade".

Na terça-feira (26), o ministro afirmou que financiamentos dos bancos públicos são "ações do governo", e defendeu que fosse discutido com os governantes "alguma reciprocidade no sentido de que seja aprovada a reforma da Previdência". "Financiamentos da Caixa Econômica Federal são ações de governo, o governador poderia tomar esse financiamento no Bradesco, não sei aonde. Obviamente, se são na Caixa, no Banco do Brasil ou no BNDES são ações de governo. Nesse sentido, entendemos que deve sim ser discutido com esses governantes alguma reciprocidade no sentido de que seja aprovada a reforma da Previdência, que é uma questão que entendemos hoje de vida ou morte para o Brasil", disse.

Em protesto contra a fala de Marun, governadores de estados do Nordeste divulgaram na quarta-feira uma nota conjunta manifestando "profunda estranheza" com as declarações, e a ameaçando "promover a responsabilidade política e jurídica dos agentes públicos envolvidos". Na quinta-feira, o ministro já havia divulgado nota negando ter atrelado financiamentos ao apoio à reforma, e cobrando "responsabilidade" dos agentes públicos.

Marun reforçou que não existe meios de estados, municípios e União "sobreviverem" financeiramente sem a reforma da Previdência. E que, nesse sentido, o governo Temer concede "uma oportunidade para o Brasil".




Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS