Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

Questão de Gênero
Blog Questão de Gênero

LGBTfobia registra recorde em 2017

Foram 442 mortes motivadas pela LGBTfobia no país que resultam na média de uma morte a cada 20 horas.
02/01/2018 11:21 03/01/2018 18:04

O ano de 2017 se despediu marcando um recorde no número de mortes por LGBTfobia no Brasil. Os números, contabilizados pelo Grupo Gay Bahia, que produz a pesquisa há 37 anos, apresenta 442 mortes no ano passado, superando as 343 de 2016. De 2005 até 2016, o Grupo calcula um total de 2.842 homicídios contra a população LGBT.

Das 442 mortes documentadas pelo Grupo, 245 foram devidas à orientação sexual da vítima (185 gays, 45 lésbicas, 5 bissexuais, 8 heterossexuais e 4 T-lovers) e 197 pela sua identidade de gênero (132 travestis, 45 mulheres trans, 13 homens trans, 2 drag queens, 2 transformistas, 2 andróginos e 1 crossdresser).

As principais causas das mortes foram por tiros (136), seguidas de arma branca (111), suicídio (57), espancamento (32), asfixia (22), pauladas (16), apedrejamento (13), carbonização (6), decapitação (2), overdose (2) e outras (47). Sobre a raça da vítima, 261 eram brancas, 104 pardas e 29 pretas. Acerca do local da morte, 231 foram em via pública, 152 em residência e 28 em estabelecimento privado.

Os estados com os maiores números de mortos foram São Paulo (59), Minas Gerais (43), Bahia (35), Ceará (30) e Rio de Janeiro (29). No Rio Grande do Sul, foram 13 mortes, sendo três em Pelotas, duas em Porto Alegre e uma em Alegrete, São Leopoldo, Pinheiro Machado, Cachoeira do Sul, Novo Hamburgo, Gravataí, Cachoeirinha e Caxias do Sul.

Com base nos assassinatos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Brasil no período de 2000 a 2016, tendo um total da amostra de 2.730 mortes, a média atual de vida da população LGBT no país é de 27,7 anos para pessoas trans, 28 anos para lésbicas, 38,1 anos para gays e 42,6 anos para bissexuais.


Jornal NH

Questão de Gênero

por Cristiano Rosa
cristiano1105@hotmail.com

Corpo, cultura, direitos sexuais, educação, gênero, políticas públicas, saúde e sexualidade. O blog Questão de Gênero vem para dialogar com todos esses temas por meio de textos semanais com entrevistas, notícias, reflexões e vídeos, além de dicas de filmes, livros e música. A ideia principal é comentar e problematizar sobre tudo aquilo que envolva a cultura e a diversidade sexual, as relações de conceitos, práticas e teorias sobre sexualidade e o respeito pela igualdade de gêneros. Cristiano Rosa é professor de línguas, especialista em Educação a Distância e pesquisador na área de Educação, Linguagem, Relações de Gênero e Sexualidade.

PUBLICIDADE

WEBTV

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS