Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Tecnologia

Consumidores chineses cobram resposta da Apple sobre lentidão de iPhone

Grupos dos EUA, Coreia do Sul e França já reagiram à prática da empresa
16/01/2018 11:04 16/01/2018 11:05

Um grupo de consumidores chineses pediu informações à Apple sobre a lentidão dos modelos antigos de iPhone após atualizações do sistema operacional. O grupo exige uma resposta até sexta-feira, de acordo com a agência de notícias Xinhua.

O pedido do Conselho de Consumidores de Xangai foi feito em resposta ao relato de usuários do smartphone que relataram maior lentidão dos aparelhos depois que eles atualizaram o software para iOS 10.2.1. Em carta enviada à Apple na segunda-feira, o conselho exige explicações e informações sobre como a Apple planeja corrigir o problema.

A companhia sediada na Califórnia reconheceu em dezembro que a atualização de software pode diminuir a velocidade de telefones com problemas de bateria e se desculpou pelo caso. A empresa também reduziu custos de troca da bateria e disse que faria mudanças no software para mostrar aos usuários se as baterias de seus telefones estavam funcionando adequadamente.

A China é o quarto país a reagir à revelação. Desde dezembro, grupos dos EUA, Coreia do Sul e da França cobraram explicações da companhia. A manifestação mais recente foi a de promotores franceses, que iniciaram uma investigação sobre a chamada obsolescência programada praticada pela companhia americana. As primeiras reações foram de grupos de consumidores de diversos estados, que processaram a empresa por causa do episódio. Na Coreia do Sul, o processo envolve 120 pessoas e busca compensações de US$ 2 milhões.

O Conselho de Consumidores de Xangai, uma organização não governamental aprovada pelas autoridades chinesas, disse que recebeu 2.615 reclamações sobre produtos e serviços da Apple no ano passado. O número representa aumento significativo em relação às 965 reclamações registradas em 2015.



Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS