Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Ivar Hartmann

Um ditador brasileiro

Leia artigo de Ivar Hartmann
10/01/2018 06:30


 Ivar Hartmann Ivar Hartmann é promotor aposentado

ivarhartmann@hotmail.com

Fui professor de História. Os anos de governo do ditador Emílio Médici foram conhecidos como Anos de Chumbo. Repressão e censura andavam juntas. As guerrilhas e os guerrilheiros urbanos e rurais foram exterminados. Muitos jovens adversários do governo, favoráveis à luta armada, desapareceram. Sem oposição armada ou parlamentar, o governo podia governar para si, como PT-PMDB hoje, ou para o povo. Se perguntarmos aos brasileiros: quantos sofreram com a repressão, direta ou indiretamente, somarão milhares. Não esqueçamos que somos milhões. Para fazer um juízo correto de valor, há que perguntar: e estes milhões, o que ganharam? A começar pelo fato de Médici ser um rico fazendeiro gaúcho que morreu com o mesmo dinheiro que herdou. Isso o separa dos nossos atuais governantes e depõe em seu favor. Imaginem um país em que só o político ser honesto já é um milagre. E é do governo Médici o Milagre Econômico: grande crescimento econômico com baixa inflação. Foram criados: Embrapa, Infraero, Telebrás, o PIS, Prorural, Incra e o Projeto Rondon. A construção das rodovias Transamazônica e da Ponte Rio-Niterói. Ele assinou o acordo com o Paraguai que deu origem à Usina de Itaipu, maior do mundo na época e fundamental para o Brasil de hoje. Televisão a cores, automóvel e geladeira, tão queridos e comuns aos brasileiros, em seu governo é que se tornaram populares. Lá o BNH começou a construção de casas populares. Ao contrário de hoje, a população vendia otimismo. Mas, uma ação foi a maior de todas. Fundamental no presente e futuro. Em março de 1970, assinou o projeto que criava para o Brasil um mar territorial de jurisdição de 200 milhas marítimas, acompanhando nossa plataforma continental. Cerca de 3.200.000 quilômetros quadrados de mar territorial, acrescidos aos 8,5 milhões de quilômetros quadrados do Brasil. Onde estão as maiores jazidas de petróleo. Com recursos pesqueiros inestimáveis. Repressor? Sim. Melhor que hoje? Comparem.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS