Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Acompanhe ao vivo a coletiva

De sete suspeitos de envolvimento em ritual satânico, quatro já foram presos

Polícia concede a coletiva em São Leopoldo
08/01/2018 08:56 08/01/2018 09:43

A Polícia Civil faz, na manhã desta segunda-feira (8), uma coletiva de imprensa para esclarecer as mortes das duas crianças encontradas esquartejadas no início de setembro em Lomba Grande. A investigação, conforme o delegado Fábio Motta Lopes, Diretor do Departamento de Policia Metropolitana, confirmou que os irmãos, ainda não identificados, foram mortos durante um sacrifício religioso, em um "ritual satânico".

Os investigadores também confirmaram a prisão de um quarto suspeito na última sexta-feira (5). O homem não está na lista dos três foragidos. Outros três, o satanista, o hamburguense que encomendou o ritual e um parente já estão presos desde 27 de dezembro, conforme noticiou com exclusividade o Jornal NH na última quarta-feira. "Ele foi preso após relatos de testemunhas. Na verdade, são sete para formar o ritual. Sete discípulos", afirmou o delegado Moacir Firmino, chefe da 2ª Delegacia de Polícia de Novo Hamburgo e que está interinamente na chefia da Homicídios.

Os sete já têm a prisão preventiva decretada. Até o momento, os três primeiros presos estavam com temporárias decretadas por apenas 30 dias. Agora, a prisão não tem tempo limite. "O bruxo e os três que estão presos afirmam que não se conhecem. Mas temos provas de testemunhas e no papel de que eles se conheciam", destaca o delegado.

Firmino afirmou ainda que o satanista "mentiu desde o início", quando negava ter envolvimento no ritual. A Polícia, entretanto, encontrou um cofre no templo do líder no interior de Gravataí. "Ele dizia não ter a chave do cofre, onde tinha dezenas de documentos. Mas trouxemos o cofre para a delegacia e conseguimos abrir. Levamos cinco horas para abrir, mas conseguimos. Lá está cheio de provas."


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS