Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Execução

Ex-vereador morre após ser alvejado em Tramandaí

Autoria do crime recai sobre sobre integrantes de uma facção, que havia tentado executar a vítima duas vezes em 2017
08/01/2018 15:55 08/01/2018 15:55

TSE/Reprodução
Valdonez, na última eleição que disputou, em 2004
Atingido por pelo menos quatro tiros na tarde de domingo (7), o ex-vereador de Tramandaí Valdonez Anchete da Silva, 54 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã desta segunda-feira, no hospital. Ele foi atacado por volta das 17 horas, dentro de sua loja, localizada na Rua Mario Totta, por dois criminosos. Informações iniciais levantadas pela Polícia Civil apontam que os homens chegaram ao local a pé, efetuaram os disparos e fugiram em seguida.

Responsável pelo caso, o delegado Paulo Perez afirma que a autoria do crime recai sobre sobre integrantes de uma facção, que haviam tentado executar a vítima duas vezes no ano passado. "Uma ação foi abortada pela Polícia Civil, que apreendeu o menor que ia executar a vítima, e a segunda foi frustrada pela Brigada Militar, que prendeu quatro homens que teriam vindo a Tramandaí para fazer quatro execuções, e uma delas ela de Valdonez", detalha.

Conhecido como Chinês, o ex-vereador foi eleito em 2000 e, em 2004, tentou reeleição, ficando como primeiro suplente. Preso em 2003 e 2006, tinha histórico com o tráfico de drogas e chegou a presidir a Câmara de Vereadores, em 2004. "Ele estava envolvido com o tráfico, já havia sido preso e muito provavelmente esta ação está vinculada a isso", afirma o delegado

Envolvimento com tráfico

Em fevereiro de 2003, o então vereador foi preso pela Polícia Civil, sob suspeita de tráfico de entorpecentes. Na ocasião, ele foi abordado em sua casa, portando 6 gramas de pasta de cocaína. No local, havia também um bar, que funcionaria como ponto de tráfico. Depois, em janeiro de 2006, foi a vez de a Polícia Federal o prender, sob suspeita de liderar uma quadrilha de oito pessoas que teria envolvimento com tráfico internacional de cocaína. A droga viria da Bolívia para o Rio Grande do Sul camuflada em veículos, sendo vendida posteriormente em Tramandaí, Imbé e Capão da Canoa. A condenação judicial

Carreira política

Valdonez foi o candidato mais votado no pleito de 2000, com 527 votos, o que o permitiu exercer o mandato entre 2001 e 2004, quando chegou a presidir a Câmara de Vereadores. Na ocasião, ele representava o PTB. Nas eleições seguintes, ele concorreu novamente, alcançando 695 votos, pelo PMDB, e ficando como suplente. Em substituição a colega, ele assumiu o cargo até sua prisão, realizada em janeiro de 2006. O processo de renúncia, entretanto, só ocorreu em agosto daquele ano.

Tentativa de homicídio na sexta não tem relação

Na noite de sexta-feira (5), um jovem de 27 anos foi baleado também na Rua Mário Totta, no bairro Litoral. Ele foi socorrido ao Hospital Tramandaí, onde permanecia internado na tarde desta segunda. O rapaz foi atingido por dois tiros, na região cervical e do tórax. Apesar da semelhança, o caso não tem relação com o homicídio do ex-vereador. “Deste crime, já temos um suspeito identificado e vamos pedir a prisão dele”, afirma o delegado.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS