Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Saúde

Paralisações em hospitais de Osório e Tramandaí não afetam atendimentos, garantem direções

Para o SindiSaúde-RS, as manifestações vão continuar até que todas as verbas sejam encaminhadas
12/01/2018 08:00 12/01/2018 08:08

SindiSaúde-RS/SindiSaúde-RS/Divulgação
Paralisação na quarta-feira no hospital de Osório
As paralisações prometidas por profissionais médicos para essa semana no Hospital São Vicente de Paulo, em Osório, e Hospital Tramandaí, na cidade de mesmo nome, estão ocorrendo. Contudo, as manifestações não afetam os atendimentos, que seguem sendo realizados normalmente. Como a adesão é baixa e respeita a porcentagem de assistência determinada para cada uma das áreas, o usuário final não está sendo afetado, conforme salientam as direções das casas de saúde.

Em Osório, foram 24 horas de parada, da manhã da última quarta-feira, até as 7 horas de ontem. “Há 20% de atraso referente ao salário de novembro, 100% dos pagamentos de dezembro, além da integralidade do 13º de 2017. O Estado nos deu a posição de que na última terça-feira iria pagar metade dos quatro meses de incentivo devidos, porém, até o momento não recebemos nada. Por essa situação, esperávamos uma maior mobilização da categoria”, salienta o superintendente administrativo da casa de saúde, Milton Porto Alegre Dias Júnior. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirma que está em aberto um total de R$ 1 milhão, referente a quatro meses de incentivos, e não há previsão para a entrada desse valor.

Prometendo durar 72 horas, a paralisação em Tramandaí iniciou na manhã de ontem e pode continuar até a noite de amanhã. “O hospital está funcionando normalmente. Cumprindo o acordo com o sindicato, temos pelo menos 70% de profissionais na área crítica e 30% nas áreas não-críticas. Não há restrições nos atendimentos”, afirma o diretor da instituição, Luis Genaro. Com o pagamento dos salários de dezembro e da primeira parcela do 13º na última terça-feira, 9, parte das questões levantadas pelos funcionários foram resolvidas, de acordo com Genaro, que tem a expectativa da quitação dos valores em aberto para os próximos dias. Em nota, a SES relata que o pagamento do Hospital Tramandaí está em dia. A Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV), mantenedora da casa de saúde tramandaiense, diz que a adesão à paralisação é pequena, em torno de 10%, e que o atendimento à população está garantido.

Para o Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnicos, Duchistas, Massagistas e Empregados em Hospitais e Casas de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul (SindiSaúde-RS), as manifestações vão continuar até que todas as verbas sejam encaminhadas. No Hospital São Vicente de Paulo, uma nova paralisação de 48 horas já foi agendada para a próxima semana, nos dias 17 e 18 de janeiro. “A categoria está cansada. Em Osório, nesse primeiro momento, 60% dos funcionários cruzaram os braços. Nossa paralisação é organizada, mas se não tivermos resultado, provavelmente vamos fazer uma greve definitiva. Conseguimos algumas cestas básicas em mutirões, só que os trabalhadores têm suas contas para pagar também”, pontua o diretor de patrimônio do sindicato, Paulo Rogério de Oliveira Cláudio.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS