Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Tentação

Neurônios seriam os culpados pelo desejo irresistível por doces

Segundo pesquisador, ativação desta molécula poderia ser útil para os pacientes que consomem muita gordura
19/01/2018 12:04 19/01/2018 12:05

Stock.Sxchng
Sob estresse, roedores estudados comeram três vezes mais rações açucaradas
Quem é o culpado pelo desejo de comer doces ou chocolate quando o estresse é grande? Uma equipe de pesquisadores japoneses identificou os neurônios responsáveis por essas tentações súbitas. Com esta descoberta, cria-se uma esperança para avançar em investigações mais precisas para as pessoas que sofrem de excesso de peso.

Cientistas do Instituto Nacional de Ciências Fisiológicas, localizado na prefeitura de Aichi, descobriram que quando estimulavam em ratos os neurônios conhecidos por sua relação com estresse, seu desejo por carboidratos multiplicava.

Os roedores estudados comeram três vezes mais rações açucaradas que sob condições normais, enquanto reduziram a metade as gorduras ingeridas.

Este estudo, que será publicado na edição on-line da revista americana Cell Reports, é o primeiro a demonstrar o papel do cérebro nas preferências de carboidratos ou gorduras, explicou Yasuhiko Minokoshi, que liderou a pesquisa.

"Muitas pessoas que comem muito doces quando estão estressadas, muitas vezes pensam que é culpa própria porque não conseguem controlar seus impulsos", mas na realidade pode ser uma questão de neurônios, disse Minokoshi.

No entanto, o pesquisador foi prudente e enfatizou que ainda falta tempo para que esses conhecimentos permitam tratamentos específicos. Uma simples supressão desses neurônios poderia ter efeitos colaterais, advertiu.

"Mas se encontrássemos uma molécula específica nos neurônios poderíamos visá-la para suprimir algumas de suas funções, isso ajudaria a reduzir o consumo excessivo de carboidratos".

Já a ativação desta molécula poderia ser útil para os pacientes que consomem muita gordura.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS