Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Arte na pele

Cuidados são necessários para manter as tatuagens sempre saudáveis

Tatuagem eleva autoestima, mas é preciso ser feita por profissionais qualificados e ter atenção redobrada com o término da obra na pele
29/01/2018 14:25 29/01/2018 15:16

Claucia Ferreira/GES-Especial
Para a tatuagem ficar em dia é preciso seguir as recomendações dos especialistas
Para uns é uma obra de arte, para outros marca uma identidade, e para outros ainda, um ato de coragem. Para os apaixonados por tatuagens, a escolha do desenho deve ser especial, representativa e não deve ser escolhida de uma hora para outra. Deve ser bem pensada, maturada, pois o registro ficará marcado na pele. As tatuagens fazem maravilhas pela autoconfiança, estética e individualidade das pessoas, mas também é preciso tomar alguns cuidados para que a alegria de ver o resultado final não se torne em dor de cabeça e frustração.

Se a tatuagem não for bem feita e se a pessoa não seguir rigorosamente as recomendações dos especialistas, problemas podem surgir e implicar na saúde. A tatuagem também demanda atenção e cuidados para que continue bonita por muito tempo.

Qualidade

De acordo com o tatuador Nícolas Rhoden, 24 anos, de Novo Hamburgo, é aconselhável sempre procurar locais com tatuadores qualificados. “É preciso entender que a gente vai trabalhar com a pele. Conforme passa o tempo, ela muda. Então cuidamos muito e orientamos nossos clientes. Levamos em conta o local do corpo, o tamanho e quantidade de detalhes.

Muitas tatuagens pequenas com muitos detalhes não funcionam. Ao longo dos anos, vai desfigurar porque a pele muda. Como dizemos, é preciso abraçar a tatoo ao corpo”, ressalta Rhoden, que é apaixonado por tatuagens desde criança. Ele fez sua primeira tatuagem aos 18 anos.

O tatuador ainda frisa que no Rio Grande do Sul não existe uma regulamentação sobre o processo de tatuar, mas o ideal é fazer tatuagem após os 18 anos. “Priorizamos a partir dos 18 anos, mas fazemos também em jovens a partir dos 16 anos, com autorização registrada dos responsáveis. Antes disso não se faz”, enfatiza.

Recomendações

O tatuador Nícolas Rhoden explica que é preciso ter muito cuidado com pele e com a pós-tatuagem. “Ao fazer uma tatuagem é necessário usar material de excelente qualidade. É preciso ter muito cuidado no processo de higienização e também no processo de cicatrização. A tatuagem é uma “ferida aberta” e todo o processo de cicatrização é fundamental que seja feito de forma correta. Há pomadas específicas para tatoo, que não se encontram em farmácias”, explica Rhoden, enfatizando ainda que o sol é outro “inimigo” da pele recém tatuada.

Outra dica é passar muito hidratante logo após o banho e quando for sair à rua é necessário usar bloqueador solar.



Tatuagem especial

Aos 29 anos, Paulo Gnoatto Hallal, de Novo Hamburgo, está tatuando a terceira imagem no corpo. A primeira ocorreu em 2009. “Eu maturei a ideia de fazer a minha terceira tatuagem durante dois anos. Pensei muito. A tatuagem que estou fazendo agora é muito especial. A imagem tem um sentido para mim, algo como levitar e no próprio corpo da imagem tem também a figura da minha primeira tatuagem. Eu sempre sigo rigorosamente todas as recomendações dos tatuadores para não ter nenhum tipo de problema na pele”, salienta.

Já o tatuador Éder Fernandes, comenta que todas as pessoas que se submetem a tatuagens devem escolher um local de qualidade, que tenham profissionais competentes. “O tempo de duração de uma tatuagem depende de uma pessoa para outra. A que estou fazendo no Paulo será de três sessões de 4 horas. Eu cuido muito com a higienização. É obrigação nossa”, salienta.

Proteção sempre

Divulgação
Dermatologista Ricardo Carniel
Na avaliação do dermatologista Ricardo Carniel, os raios invisíveis conhecidos como ultravioleta A e ultravioleta B causam muitos problemas dermatológicos. “Ao mesmo tempo em que bronzeiam, também acarretam danos. Não há luz ultravioleta segura. Uma pele sem tatuagem já sofre muito, imagine, então, a pele tatuada. Assim como uma pinta congênita, as tintas mais escuras não conseguem refletir a luz, e é nesse local em que os raios ultravioletas vão agir com mais intensidade, predispondo ao tão temido melanoma, que pode, para completar, ser mascarado pela própria tatuagem”, explica o médico, enfatizando ainda que as melhores opções, com ou sem tatuagem, é evitar ao máximo o sol e usar protetor solar.

Dermatologista alerta sobre os riscos

Claucia Ferreira/GES-Especial
Tatuagens podem esconder evidências de doenças de pele, como o câncer
O médico especialista em dermatologia estética, Ricardo Carniel, ressalta que as tatuagens podem esconder evidências de doenças de pele, como o câncer. As partes mais escuras dos desenhos absorvem mais luz, o que faz a pele desses locais sofrer mais com a radiação UV, causadora do câncer de pele.

Além disso, as tatuagens podem causar alguns tipos de problemas. “O corante vermelho, em especial, pode causar reações alérgicas na pele, resultando numa erupção pruriginosa no local da tatuagem. Isso pode ocorrer mesmo anos depois de se fazer uma tatuagem. Se o equipamento utilizado para criar a sua tatuagem está em más condições (inclusive enferrujado) ou até contaminado com sangue, você pode contrair diversas doenças, como tétano, hepatite B, hepatite C e HIV”, frisa o médico.

Ele ainda explica que as tatuagens podem levar a infecções bacterianas locais, caracterizadas por vermelhidão, inchaço, febre, dor e drenagem de pus. “Às vezes, por rejeição à tinta, nódulos chamados granulomas formam-se em torno de tatuagem. Se há tendência, também pode haver um super crescimento do tecido cicatricial (queloides)”, destaca.

Carniel também comenta que se as tatuagens feitas recentemente começarem a produzir secreção verde/amarelada, secreção sanguinolenta excessiva e/ou exalar mau cheiro, uma infecção está em andamento. “Por fim, embora sejam raras, raias vermelhas são, sem sombra de dúvida, uma das reações mais perigosas que podem ocorrer.

Estrias vermelhas que irradiam para fora do local original da tatuagem podem ser um sinal grave de envenenamento do sangue. Nestes casos é preciso dirija-se para o consultório de seu dermatologista ou pronto socorro mais próximo”, avisa. Seguindo as orientações médicas e dos tatuadores, as tatuagens são seguras e significativas para cada indivíduo.

Dicas para não ter problemas

Higienização

A tatuagem nada mais é que uma ferida e, como tal, exige cuidados de higienização e cicatrização. A limpeza frequente evita infecções. Deve-se lavar a tatuagem usando sabonete antisséptico duas a três vezes ao dia. A lavagem pode ser feita a partir do dia seguinte ao procedimento e deve ser mantida enquanto a pele possuir casquinha e aspecto de ferida, o que pode se prolongar por até um mês. Essa higienização pode ser feita durante o banho. Não use buchas, nem sabonetes com cheiro forte para limpar a região, pois isso aumenta a incidência de alergias;

Usar pomada corretamente

Um dos cuidados do tatuador é passar pomada na tatuagem antes de você sair do estúdio. Esse hábito deve ser mantido em casa. O comum é usar pomadas como bepantol, que ajudam na cicatrização. Pomadas com ação antibiótica também podem ser utilizadas, mas como necessitam de receita, aquelas à base de bepantol são utilizadas com sucesso. Nos primeiros dias, o ideal é que a pomada seja passada de uma a três vezes ao dia, sendo a principal delas à noite, antes de dormir. O seu uso deve ser mantido, ao menos, durante os 20 primeiros dias;

Não prolongar o uso do filme plástico

O filme plástico funciona junto à pomada na proteção do desenho. O isolamento da área com papel-filme facilita a absorção de agentes presentes nos cremes e ajuda a evitar infecções. No entanto, não se deve ultrapassar o período de três dias usando o filme plástico, pois isso poderá facilitar o crescimento de bactérias. No período de uso do filme, ele deve ser trocado toda vez que houver higienização e/ou uso da pomada;

Não expor ao sol

O sol pode interferir na cicatrização e fixação dos pigmentos. A radiação UV atinge a derme e provoca um processo inflamatório que resulta na reabsorção dos pigmentos. Antes da queda das casquinhas, o ideal é usar roupas longas para proteção do local. Além de protetor solar, o uso de hidratantes depois da cicatrização é recomendado para deixar a pele mais elástica e, com isso, preservar as tatuagens;

Não coçar

Logo que a cicatrização começa é normal que a tatuagem coce muito, mas é preciso resistir a essa vontade. No entanto, quando a coceira está muito forte, o ideal é retornar ao tatuador ou procurar um dermatologista, já que isso pode ser uma reação alérgica até mesmo à tinta;

Evitar ir à praia

Além de se expor ao sol, na praia você também se expõe a mais infecções (isso inclui piscinas e clubes);

Evitar alimentos muito gordurosos e condimentados

Tem-se notado que esses tipos de comidas podem causar alergias no local tatuado de algumas pessoas e, por isso, sempre devem ser evitados, por prevenção. O problema é o excesso: comer um bombom ou um hambúrguer não trará danos; o mesmo não se pode dizer quando se devora uma caixa de bombons ou uma feijoada.

Fonte: dermatologista Ricardo Carniel 


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS