Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

No Vale

A hora do Novo Hamburgo vencer no Gauchão

Embalado após vitória na Copa do Brasil, Noia recebe o São Paulo-RG nesta segunda-feira
04/02/2018 20:36 04/02/2018 20:36

Adilson German/ECNH
Zotti vem sendo a referência da equipe na meia
Com o espírito de uma final de campeonato. É assim que o Novo Hamburgo pisará às 20h30 desta segunda-feira no gramado do Estádio do Vale. Apenas os três pontos interessam diante do São Paulo-RG, em jogo que pode significar o adeus a lanterna do Gauchão no ano em que o clube defende o título do certame. Determinação é palavra de ordem no vestiário do Anilado, que projeta a partida como um divisor de águas na competição a partir da classificação na estreia da Copa do Brasil frente ao Paysandu e ao empate na rodada anterior do Gauchão, contra o Juventude, em Caxias do Sul. Resultados que serviram para resgatar a confiança dos jogadores e da comissão técnica e elevar consideravelmente o astral no Estádio do Vale.

A importância de um triunfo nesta segunda também reside no fato de que o São Paulo é adversário direto. O Leão do Parque vive uma crise, soma três pontos e pode estacionar por aí. O Anilado chegaria a quatro, deixando os riograndinos e o Grêmio, que tem apenas um ponto, com a incômoda lanterna. A partir da transferência da 6ª rodada para 11 de março, quando vai encarar o Avenida, em Santa Cruz do Sul, o Noia terá além do São Paulo-RG outros dois jogos em sequência em casa. Recebe o Cruzeiro (dia 14) e depois o São Luiz (18), podendo somar mais seis pontos e sonhar de forma mais concreta com a classificação. Um exemplo do foco do Anilado foram os treinos fechados comandados sábado e no domingo por Beto Campos, para ajustar o time e trabalhar exaustivamente a bola parada e a transição qualificada entre todos os setores.

Entrevista Zotti, meia do Novo Hamburgo

“Resgatamos a confiança”
Meia-armador canhoto e habilidoso, o paulista Zotti, 32 anos, tem a missão de substituir o capitão Preto. Desde que entrou na equipe, diante do Juventude, o modelo tático do Noia melhorou. Confira o que diz o jogador sobre o momento do time.

Com a sua entrada o time parece ter se ajustado. O que mudou?
Zotti - Vai muito da formação (tática) e da atitude. Estávamos sendo batidos de forma muito fácil, aceitando fácil a derrota. A classificação na Copa do Brasil foi de uma importância tremenda, também pelo aspecto financeiro ao clube. E o empate com o Juventude já havia sido bom. Resgatamos a confiança, de que podemos chegar forte no Gauchão. Temos que fazer valer agora esse espírito e essa confiança.

A pressão de ser campeão pesou no emocional do grupo ou a tabela dos jogos iniciais (três deles fora e um contra o Inter, em casa) era mesmo complicada?
Zotti - Sem dúvida que sabíamos das dificuldades desses jogos. E conversarmos muito que pelo fato de sermos campeões a pressão da competição exigiria muito mais do que em anos anteriores. Mas temos um grupo muito forte, experiente, mesmo que alguns atletas nunca tenham jogado o Gauchão e 60 a 70% da base do ano passado tenha mudado. Não começamos ligados e esperamos não sofrer lá na frente esse início ruim. Precisamos dar a volta por cima.

Mas o que faltou exatamente nos primeiros jogos? Foi um maior ajuste tático?
Zotti - O Gauchão é um campeonato pegado, de mais força. E a equipe que foi montada é um time mais técnico. Acho que nos primeiros jogos faltou mais calma, trabalhar a bola. E o que fez a gente fazer jogos bons na pré-temporada foi ter a bola, rodar a bola. Entramos na correria do adversário, na força do adversário. Tenho conversado muito com os volantes e extremos para termos mais controle e posse de bola.

Você é um cigano da bola. São 17 times na carreira. O que te motivou a vir ao Noia e suas características?
Zotti - Vim pelo perfil do campeonato, o desafio do Gauchão. Pelo fato do Novo Hamburgo ser o campeão gaúcho isso atrai mais holofotes, isso faz você aparecer. Vamos disputar Copa do Brasil, Gauchão. Procurei antes de assinar me informar sobre o clube, suas condições. E há um planejamento, é organizado, a gente vê o trabalho. E a cidade é boa, trouxe minha família. Minha função é organizar, dar o último passe, e isso me satisfaz tanto quanto fazer um gol. Mas tenho uma boa bola parada e também um bom chute.

E o que a torcida anilada pode esperar do jogo desta segunda-feira?
Zotti - Nós retomamos a nossa confiança. Acredito que o São Paulo, que é um bom time, saiba disso. E vai nos olhar, vai nos enxergar com respeito. E vemos esse jogo como o mais decisivo do campeonato até agora, é um divisor de águas pra nós na competição.

Ficha técnica

NOVO HAMBURGO
Michel Alves; Lito, Talis, Júlio Santos e Assis; Tiago Ott, Diogo Oliveira, Zotti e Juninho; Jean Silva e Flávio Torres. Técnico - Beto Campos

SÃO PAULO-RG
Nicolas; Thiago M. (Jheferson), Pedro, Gulithi e Felipe; Diguinho, Leanderson, Diogo (Labarthe) e Fred; Gueguel e Janderson. Técnico - Claiton dos Santos

Local - Estádio do Vale, em Novo Hamburgo. Horário - 20h30. Arbitragem - Anderson Daronco, auxiliado por Maurício Penna e André Bitencourt. Transmissão - Rádio ABC.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS