Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Nathalia Cadó

Todos os sonhos em nós

Leia artigo de Nathalia Cadó
06/02/2018 10:00

Nathalia Cadó Nathalia Cadó é estudante de Letras e blogueira do Jornal NH

Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte disso, tenho em mim todos os sonhos do mundo. Este é o início do poema Tabacaria, escrito por Álvaro de Campos, heterônimo do imortal Fernando Pessoa, poeta português. Tenho tanto carinho por estes versos iniciais que viraram, nesta semana, decoração da minha mesa de estudos em meu quarto, porque, de uma forma ou outra, sempre carreguei comigo também estas palavras tão preciosas e significativas. Para mim, elas são capazes de exemplificar o conflito que, muitas vezes, está no entorno do ser humano: a vontade de ser, de sonhar, de seguir em frente, mas sentir que não vai conseguir o que quer por algo que não se sabe explicar. Num mundo rodeado de tanta inveja, cobiça, interesse e violência, o que nos resulta, muitas vezes, é a desilusão. Além de nos sentirmos incapazes, também ficamos covardes diante de muitas situações. E a culpa não necessariamente é nossa. É também daquilo que nos rodeia.

Não é apenas falta de coragem. É o medo e uma certeza de que não irá dar certo, sempre um pessimismo que nos persegue. Afinal, a sociedade que vivemos, numa cidade que respira gás poluente e violência, num país onde se aumenta o trem e a gasolina, transporte dos ricos e dos pobres, que futuro existe aqui?

E, mesmo em toda essa vida conturbada, acredito que cada um, de uma forma ou outra, carrega em si todos os sonhos do mundo. Ou melhor, os seus próprios sonhos, que são os únicos e universais para cada um. Afinal, o ser humano não foi feito somente para encarar a dureza da vida, mas também para, quem sabe, enxergar o que há de colorido nela, nem que seja apenas com sua imaginação.

Os versos escritos pelo poeta imaginado por Fernando Pessoa são, no meu ponto de vista, um dos mais tristes que já li. Talvez por ele falar da nossa triste realidade que, diariamente, carregamos conosco, com tudo aquilo que mais desejamos, profundamente.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS