Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Estância Velha

MP denuncia marido por morte de catequista

Investigações apontaram que ela queria o divórcio, mas ele não aceitava partilhar o patrimônio comum do casal
09/02/2018 08:43 09/02/2018 08:54

Marido da professora morta em agosto do ano passado em Estância Velha, Cesar Luís Velho, 54 anos, foi denunciado na quinta-feira (8) pelo Ministério Público (MP) como autor do crime. No documento apresentado à Justiça, o promotor Bruno Amorim Carpes argumenta que o assassinato de Elaine Maria Tretto, então com 51 anos, foi cometido por motivo torpe, com emprego de meio cruel, mediante recurso que dificultou sua defesa e pelo fato de ela ser mulher, o que classifica o caso como feminicídio. Velho foi denunciado ainda por constrangimento ilegal às quatro pessoas que estavam no local, no momento em que o crime foi praticado, e por possuir e manter arma de fogo e munição em casa sem permissão.

A denúncia surge mais de cinco meses após a morte de Elaine, em 31 de agosto de 2017, na capela da Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora Nova Estância. Conforme o MP, Velho portava uma arma e surpreendeu a esposa no momento em que ela dava aula de catequese. Ele então amarrou e amordaçou as testemunhas e ainda rendeu a vítima, arrastando-a até o banheiro. Além de ter sido espancada no rosto, tórax e membros, Elaine foi asfixiada por uma corda amarrada em seu pescoço.

As investigações também apontaram que ela queria o divórcio e que o marido não aceitava partilhar o patrimônio comum do casal, o que poderia ter motivado sua ação criminosa. Na visão do promotor, Velho agiu por cobiça, ganância e sentimento de vingança. A prisão preventiva de Velho foi decretada em 13 de setembro e, desde então, ele está foragido. A defesa dele informou à reportagem que não tem tido contato pessoal com o acusado.

Filhas suspeitavam do pai

As próprias filhas do casal, duas mulheres de 26 e 23 anos, conforme revelado pelo Jornal NH no final de setembro, acreditavam que o pai seria o mentor do crime. Em depoimento, o terceiro filho, um menino de 10 anos que disse estar com Velho no horário em que a mãe foi assassinada, relatou brigas conjugais. As filhas disseram que o pai fazia ameaças de morte e que havia até apontado uma arma para Elaine.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS