Publicidade
Esportes | Novo Hamburgo Inédito

Querência anilada: campeão, o Novo Hamburgo pintou o RS de azul anil

Horando a melhor campanha, Noia venceu o Inter nos pênaltis e levantou a taça

Por Gustavo Henemann
Última atualização: 08.05.2017 às 08:47

  • D'Alessandro após perder o primeiro pênalti para o Inter
    Foto: Juarez Machado/GES
  • Destaque do Noia, Matheus defendeu a cobrança de Nico López
    Foto: Juarez Machado/GES
  • Jogadores do Noia abraçados durante as penalidades
    Foto: Juarez Machado/GES
  • Time do Inter também ficou junto durante as cobranças de pênaltis
    Foto: Juarez Machado/GES

É campeão! É campeão! Pela primeira vez em 106 anos, o Rio Grande do Sul é tomado por inteiro pela cor do céu de anil. Em uma partida disputada do início ao fim, o Novo Hamburgo - que havia empatado o primeiro jogo da final do Gauchão em 2 a 2 com o Inter, no Beira-Rio – ficou novamente no empate com o Colorado, desta vez por 1 a 1, neste domingo (7), no Estádio Centenário, em Caxias do Sul. O resultado levou a decisão para os pênaltis, onde o Gigante do Vale do Sinos, o time do interior, venceu por 3 a 1 e levantou a taça do título inédito de campeão gaúcho de 2017.

Uma conquista merecida e que faz justiça ao time de melhor campanha do Gauchão. Um desempenho magnífico, que encerrou a competição invicto contra a dupla Gre-Nal, coroando o grande trabalho do grupo de jogadores e da comissão técnica capitaneada pelo treinador Beto Campos. O Anilado não se importou em ter que mandar o jogo longe do Estádio do Vale e, contrariando todas as expectativas frente às equipes da capital, mostrou a força do futebol do interior. Um orgulho sem fim para uma torcida que subiu a Serra e vibrou intensamente. O Inter bem que tentou, mas o heptacampeonato gaúcho ficou para outro momento.

Neste domingo, enquanto a torcida anilada ainda terminava de chegar no palco da partida, o Noia já havia dado o ponta-pé inicial e, dentro da expectativa, fez um jogo de igual para igual com o Inter. E foi novamente na bola aérea que o Noia chegou ao primeiro gol. Aos 21 minutos, Assis cobrou lateral, a zaga afastou e a bola se ofereceu novamente para o camisa 6, que cruzou e Ernando colocou contra o patrimônio.

Mais emoção

Na volta do intervalo, o Colorado voltou elétrico, e logo conseguiu o empate. Aos 3 minutos, em um bate e rebate na área anilada, Dourado aproveitou para finalizar e ver a bola entrar chorada. O Inter continuou melhor, fazendo o Noia suar a camisa e passar um enorme sufoco. Mas o placar igual levou a decisão para os pênaltis. E lá brilhou a estrela do goleiro anilado. Ele cresceu à frente de D’Alessandro e Cuesta, que mandaram no travessão, e pegou o pênalti de Nico López. William fez o único do Inter. E pelo Noia, João Paulo converteu a primeira, Léo errou na sequência, mas daí veio a dupla de zaga sensação do Gauchão, Júlio Santos marcou e Pablo fez o gol e correu pra galera. Mais do que merecido, Noia tu é o dono da querência. Agora, tudo é festa. Depois, que venha a Série D do Brasileiro.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.