Publicidade
Notícias | Região Educação

Região tem 27 escolas estaduais em 'nível crítico', mostra exame

Dezesseis colégios da região da 2ª CRE são nota 10

Por Débora Ertel
Última atualização: 28.06.2017 às 07:34

Na semana passada, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) divulgou os resultados gerais do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Rio Grande do Sul (Saers). As provas de português e matemática foram aplicadas em dezembro do ano passado para 151.952 estudantes de 2,6 mil turmas do 2ºe 6º anos do ensino fundamental e do 1o ano do ensino médio de todo o Rio Grande do Sul. No começo desta semana, as coordenadorias regionais tiveram acesso aos dados individuais de cada escola e a região pôde conhecer como anda o desempenho das escolas da rede estadual.

Das 170 unidades que integram a 2ª Coordenadoria Regional de Educação, espalhadas em 38 municípios, 16 escolas tiveram desempenho ótimo e 27 notas abaixo do básico. Foram divulgadas apenas os nomes das que obtiveram desempenho ótimo. Destas 16 escolas, 15 estão em cidades da área de cobertura do NH. A décima sexta escola fica em Poço das Antas, cidade que integra a área de abrangência da 2ª CRE.

A titular da coordenadoria, Helenise Juchem, garante que há motivos para comemorar, apesar de que nem 10% das escolas da área da sua coordenadoria atingiram o nível ótimo. De acordo com ela, a região foi bem, pois entre as 50 instituições do Estado avaliadas como ótimas, 16 são daqui. Outro fator é que as melhores médias são das escolas de ensino médio, com destaque para 11 delas, e cinco de ensino fundamental. No entanto, ela não esconde que está preocupada com os resultados negativos. Sendo assim, de hoje até amanhã, todos os diretores dos 27 colégios com desempenho abaixo do básico serão recebidos na sede da 2ª CRE para analisarem, um a um, os resultados das provas realizadas por seus alunos.

Recuperação

A coordenadora da 2ª CRE afirma que a partir dessa chamada será traçado um plano de ação e recuperação desse aluno. “Temos que melhorar esse índice de qualquer maneira”, ressaltou Helenise. Como as direções das escolas com piores notas ainda não puderam avaliar seus resultados, a 2ª CRE não divulgou quais são. Já na segunda-feira, as direções de todas as 170 escolas participam de um encontro para avaliar os resultados gerais e traçar ações em conjunto.

Nenhuma acima da média em Novo Hamburgo

A cidade que mais tem escolas na área da 2ª CRE é Novo Hamburgo, com 27 unidades. Para Helenise, chama atenção o fato do Município não ter nenhuma escola com desempenho acima da média como também a situação de ter algumas escolas na lista das notas abaixo do básico. “Ligamos o sinal de alerta. Precisamos descobrir o que está acontecendo”, disse.

Pais e alunos comprometidos com o ensino

A diretora da Escola Estadual 10 de Setembro, Andrea Blume, comenta que ficou sabendo do excelente desempenho por meio do Jornal NH e que essa conquista só mostra que todos estão no caminho certo. “Estamos sempre buscando o conhecimento para o melhor ensino para os estudantes. A formação e a informação andam juntas. A escola é responsável pelo conhecimento básico, que é fundamental para qualquer área de atuação”, enfatiza a diretora, comentando ainda que os trabalhos na escola são feitos da forma mais completa possível. “A escola busca e exige o máximo dos alunos, mas, se não houver comprometimento dos pais e dos alunos também, as coisas não acontecem. A construção do conhecimento depende disso também”, afirma Andrea. Atualmente a escola, de 76 anos, possui 726 estudantes do ensino fundamental ao ensino médio.

Escola Estadual 10 de Setembro/Divulgação
Escola Estadual 10 de Setembro desenvolve programas como o Sábado Vida Saudável

Para a coordenadora, o trabalho que será realizado envolve gestor, supervisor, professor e aluno, a fim de se identificar qual foi o problema da escola. Ela explica que cada escola tem uma situação específica e a partir desta análise será elaborado um plano para reverter os índices de aprendizagem. “Nós vamos acompanhar de perto a recuperação deste aluno que ficou abaixo do básico”, garante. Segundo a Seduc, ainda estão previstos cursos on-line com 130 multiplicadores e cursos on-line com 5.568 professores de português e matemática, sendo dois por escola. O Jornal NH fez contato com a direção do Cpers Sindicato para comentar o Saers, mas não teve retorno.

*Colaborou: Claucia Ferreira

Escolas Região

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.