Publicidade
Notícias | Região Investigação

Esposa de bruxo é presa em flagrante em templo satânico por furto de energia elétrica

Local fica localizado no distrito de Morungava, em Gravataí

Por Gabriel Guedes
Última atualização: 12.01.2018 às 13:54

  • Aline Mello foi presa em flagrante no templo onde sacrifício de crianças teria acontecido
    Foto: Paulo Pires/GES
  • Polícia Civil esteve no templo satânico na manhã desta sexta-feira (12)
    Foto: Paulo Pires/GES
  • Aline Mello é esposa do bruxo Silvio Fernandes Rodrigues, que teria feito ritual com duas crianças
    Foto: Paulo Pires/GES
  • Aline Mello foi presa em flagrante no templo onde sacrifício de crianças teria acontecido
    Foto: Paulo Pires/GES
  • Policiais do Deic fizeram nova diligência ao local do templo satânico, em Gravataí, nesta sexta-feira
    Foto: Polícia Civil
  • Equipe da RGE acompanhou os policiais do Deic em ação no Templo Satânico, em Gravataí
    Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil descobriu nesta manhã de sexta-feira (12), durante nova diligência ao templo satânico, em Gravataí, que a energia elétrica era furtada da rede da RGE. A esposa do bruxo, Aline Mello, foi presa em flagrante com a chegada da Polícia.  No local, foram mortas e esquartejadas duas crianças. Partes dos corpos foram localizados nos dias 4 e 18 de setembro, na Estrada Porto das Tranqueiras, em Lomba Grande, zona rural de Novo Hamburgo. As cabeças dos irmãos seguem desaparecidas. As identidades deles também não foram descobertas ainda. 

A pena, nos casos de furto de energia, é de 2 a 8 anos de prisão por crime de furto qualificado. Um inquérito foi instaurado pelo Departamento Estadual de Investigação Criminal (Deic). Uma equipe da RGE acompanhou os policiais, entretanto, a empresa ainda não informou se a denúncia partiu deles.

O local pertence ao bruxo Silvio Fernandes Rodrigues, um dos sete acusados do crime – quatro já estão detidos preventivamente. A Polícia ainda não concluiu o inquérito do caso. Ontem, o delegado titular do caso, Rogério Baggio, pediu mais 60 dias para o Judiciário para encerrar as investigações. 


Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.